Fórumcast #20
19 de julho de 2019, 15h44

Janaína Paschoal volta a criticar decisão de Dias Toffoli a favor de Flávio Bolsonaro

"Quem terá coragem de dizer que a Probidade Administrativa exige impessoalidade na gestão da coisa pública? Quando deixaremos de tratar o absurdo como normal?", tuitou a deputada estadual (PSL-SP)

Janaína Paschoal (Divulgação/Alesp)

Depois de afirmar que a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, em favor de petição movida por Flávio Bolsonaro para abafar Caso Queiroz é uma “derrota na guerra contra a corrupção”, a deputada estadual Janaína Paschoal (PSL-SP) usou o Twitter para cobrar que o Ministério Público atue no caso.

“Por mais importante que seja, pode um único homem estancar importantes investigações, em um país inteiro? Pode um único homem tomar essa decisão em uma petição avulsa, referente a pedido bem menos abrangente do quanto concedido? Pode o Ministério Público Federal deixar de agir, apenas por estarmos em período de sucessão? Podem os aspirantes ao cargo deixar de se manifestar, com o intuito de ocupar o almejado posto?”, publicou a deputada.

Janaína classificou ainda o ato como improbidade administrativa. “Até quando, no Brasil, será normal confundir o público com o privado? Quando, finalmente, teremos uma verdadeira República? Quem terá coragem de dizer que a Probidade Administrativa exige impessoalidade na gestão da coisa pública? Quando deixaremos de tratar o absurdo como normal?”, tuitou em sequência.

Uma das autoras do impeachment de Dilma Rousseff e deputada estadual mais votada de São Paulo em 2018, Janaína Paschoal se elegeu na onda do bolsonarismo e do antipetismo mas vem, nos últimos meses, intensificando as críticas contra o governo e a família Bolsonaro.

Veja também:  Antagonista já fala em "caos" caso Bolsonaro confirme amigo da família na PGR

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum