Fórumcast #20
25 de janeiro de 2019, 21h33

Jean Wyllys recebeu ameaças com placas de carros dos seus familiares

O Globo teve acesso às mensagens enviadas ao deputado nos últimos três anos: “Vou te matar com explosivos”, “já pensou em ver seus familiares estuprados e sem cabeça?”, “vou quebrar seu pescoço”, dizem algumas

Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados

As ameaças que levaram o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) a renunciar a seu mandato e deixar o Brasil não se limitavam ao parlamentar. Seus familiares também foram vítimas, de acordo com informações de Bela Megale, Patrik Camporez e João Paulo Saconi, de O Globo.

O jornal teve acesso às mensagens enviadas ao deputado nos últimos três anos: “Vou te matar com explosivos”, “já pensou em ver seus familiares estuprados e sem cabeça?”, “vou quebrar seu pescoço”, “aquelas câmeras de segurança que você colocou não fazem diferença”.

Fórum terá um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

As mensagens chegaram por redes sociais, e-mail e telefone do gabinete em Brasília, ou até mesmo no e-mail pessoal do deputado. As ameaças obrigaram a Polícia Federal a abrir cinco investigações e forçaram o parlamentar a andar com escolta policial.

“Ele estava cada vez mais abalado pela situação e sempre falava que se sentia como se estivesse em cárcere privado sem ter cometido nenhum crime”, afirmou um dos assistentes de Wyllys.

Veja também:  Ministro da Educação ameaça processar a Wikipédia

Desde o assassinato de Marielle Franco, em março, o parlamentar pouco saía de casa e limitava sua vida a compromissos de trabalho. O endereço onde mora, no Rio, era tratado como um segredo e compartilhado apenas com poucos amigos e familiares.

Depois do anúncio da renúncia, Jean Wyllys ainda recebeu uma derradeira mensagem por e-mail: “Nossa dívida está paga. Não vamos mais atrás de você e sua família, como prometido. Mesmo após quase dois anos, estamos aqui atrás de você e a polícia não pôde fazer nada para nos parar”.

Susto

Em 2016 o deputado recebeu uma das mensagens que mais o assustou. Em um longo e-mail que o chamava de “bixona”, o autor dizia: “Você pode ser protegido, mas a sua família não. Já pensou em ver seus familiares estuprados e sem cabeça?”

Poucos dias depois, o mesmo remetente enviou para o e-mail de Wyllys e de seus irmãos dados como endereços de todos, placa de carros e outras informações que mostravam conhecimento sobre a família. Essa ameaça foi uma das que basearam a abertura de uma das investigações pela PF.

Veja também:  Lula sobre Dallagnol: “Conselho do MP tinha que ter tirado esse moleque”

Em 2017, outro e-mail foi encaminhado ao deputado contendo vários de seus dados pessoais: “Vamos sequestrar a sua mãe, estuprá-la, e vamos desmembrá-la em vários pedaços que vamos te enviar pelo Correio pelos próximos meses. Matar você seria um presente, pois aliviaria a sua existência tão medíocre. Por isso vamos pegar sua mãe, aí você vai sofrer”.

Agora que você chegou ao final deste texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum