Joice Hasselmann responde a Carlos Bolsonaro com poema: “Carluxo, Carlixo, Carbicho”

A deputada postou versos de um suposto poeta cujo nome deriva de vários outros da língua portuguesa

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) reagiu, nesta quarta-feira (10), pelo Twitter, à postagem do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) pedindo providências contra ela ao Supremo Tribunal Federal (STF), com um poema. Ela diz que “Carluxo tá nervoso. Não gostou da imagem de palhaço louco que publiquei para defini-lo”, e a seguir publica versos de um poeta indefinido.

O caso começou quando o filho do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) postou áudio com a suposta voz da deputada e uma imagem sua caracterizado como palhaço. Na legenda ele diz: “E aí @STF_oficial?! Vamos combater o ódio de certos parlamentares? São provas e não narrativas! Seria mais uma voz de Joice? Será?”.

“Pero Camões de Pessoa Vieira”

A seguir, Joice dedica ao ex-aliado um poema com o nome “Carluxo, Carlixo, Carbicho”, que ela credita a “Pero Camões de Pessoa Vieira”, nome criado a partir de vários poetas da língua portuguesa. Ao final, na assinatura, ela faz referência ao famoso poema de Manuel Bandeira, “Vou-me embora pra Pasárgada”, publicado no livro “Libertinagem”, de 1930, e assina com a data atual: “Pasárgada, junho de2020”.

Carluxo, Carlixo, Carbicho

O q és, senão a frágil sombra de um Nada?

Pobre de ti, criança perpétua, incapaz e vil:

Marionete eterna, de parvidez herdada

Com incurável mesquinhez d’um adulto infantil.

Nada serás além de todo esse Pouco,

Cretino escondido sob a máscara do Louco;

Espírito perturbado no corpo indeciso,

Alma miserável de psicopático sorriso,

Fera barulhenta, se abrigada no Aparelho,

Protegido e Contido nas grades do Palácio:

Mas Verme parasita perante o Espelho.

(Pero Camões de Pessoa Vieira, Pasárgada, Junho de 2020)

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.