Fórumcast, o podcast da Fórum
18 de julho de 2019, 14h27

Jorge Kajuru volta atrás e diz que não renuncia: “Só estava deprimido, mas renunciar só morto”

Após dizer "que se fodam" para eleitores que o criticaram por votar a favor do decreto das armas de Jair Bolsonaro, Jorge Kajuru cogitou deixar o cargo

Jorge Kajuru (Reprodução)

O senador Jorge Kajuru (sem partido-GO) escreveu nesta quinta-feira (18) em seu Twitter que não pretende deixar o cargo, duas semanas depois de cogitar a hipótese, no último dia 5.

“Agradeço ao notável Orlando, mas eu só estava deprimido, mas renunciar só morto”, escreveu Kajuru, compartilhando uma nota que foi publicada no site Os Divergentes pelo jornalista Orlando Britto.

A nota repercute uma declaração do senador ao jornal Opção, de Goiânia.

“Não vou renunciar. Porque, se o fizesse, estaria atendendo aos meus adversários e àqueles que, fingindo me apoiar, estão, na verdade, me atacando. Tenho milhares de seguidores e o que estão me atacando são poucos. Vale sublinhar que devo minha eleição aos goianos e estes não estão me atacando. Os que me criticam, abaixando o nível do debate, integram grupos articulados e, repito, são poucos. Portanto, friso que não vou renunciar porque 20 pessoas estão me xingando”.

Veja também:  Bolsonaro vai prometer dinheiro e cargos para senadores aprovarem Eduardo na embaixada dos EUA

No início do mês, ao deixar o PSB após votar a favor do decreto de armas do presidente Jair Bolsonaro (PSL), Kajuru disse em entrevista a um blog de direita repetidas vezes querer que seus eleitores se fodam.

Dias depois, ele pediu desculpas aos eleitores e disse que poderia renunciar ao cargo. “Não preciso disso e parece não valer a pena, pois não há reconhecimento”, tuitou.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum