Blog do Rovai

01 de março de 2019, 13h31

Jornalista de O Globo soube da morte de neto do Lula antes de familiares

Jornalista de O Globo, Ancelmo Góis, postou a nota informando do acontecido às 12h20. Arthur entrou em óbito às 12h11. Vários familiares souberam da notícia pela publicação

Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, faleceu às 12h11 no Hospital Bartira, do grupo D’Or, em Santo André. Era filho de Marlene Araujo Lula da Silva e Sandro Luis Lula da Silva, filho do ex-presidente e da ex-primeira-dama Marisa Letícia.

O menino tinha dado entrada na sexta-feira pela manhã no hospital com febre alta. Foi diagnosticado com quadro infeccioso de meningite meningocócica e acabou não resistindo.

Uma morte é sempre um pouco uma tragédia em nossa sociedade. Não somos preparados para lidar com ela. A morte de uma criança nessas condições é algo dilacerante. O menino Arthur morreu às 12h11. Seus familiares mais próximos eram os que estava no hospital e ficaram sabendo praticamente ao mesmo tempo que o jornalista de O Globo, Ancelmo Góis, que postou a nota informando do acontecido às 12h20. Ou seja, o jornalista apurou e escreveu a nota em nove minutos.

Os familiares que não estavam no hospital souberam da morte de Arthur a partir do vazamento da notícia, quase que certamente, por parte de algum médico ou funcionário do grupo D´Or.

Veja também:  PSOL diz que não aceitará ameaça de Bolsonaro de "acabar com comunistas"

A mesma coisa ocorreu com Dona Marisa. Médicos e funcionários do Einstein vazaram inclusive imagens de exames realizados na paciente. Tudo porque ela era esposa de Lula. Agora fizeram o mesmo com a morte de uma criança de sete anos.

Isso não tem nada a ver com a notícia, mas faz parte da tragédia. Quando em audiência Lula pediu a Moro que devolvesse ao menos o Ipad do seu neto que tinha sido apreendido pela Polícia Federal, era o Ipad de Arthur.

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum