Jornalista dos EUA acusa Eduardo Bolsonaro de participar de reunião que discutiu invasão do Capitólio

Às vésperas da invasão, filho do presidente esteve com empresário republicano que participou de "conselho de guerra" no Trump Hotel

O advogado Seth Abramson, colunista do site de jornalismo investigativo Proof, dos Estados Unidos, publicou neste sábado (6) um artigo que revela “a conexão obscura do Brasil com o conselho secreto de Trump” que se reuniu em 5 de janeiro para supostamente discutir a invasão ao Capitólio.

O texto aponta que o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) pode ter participado da reunião, que aconteceu no Trump International Hotel, na avenida Pennsylvania, em Washington. O encontro foi apelidado pela imprensa norte-americana de “conselho de guerra”.

Diversos aliados do ex-presidente dos EUA, incluindo seu filho, foram vistos no hotel naquele dia. Um desses aliados é Michael Lindell, empresário republicano que minimizou a invasão de manifestantes pró-Trump ao Congresso e fez campanha para Trump alegando fraude eleitoral.

Eduardo Bolsonaro chegou a publicar uma foto com Lindell quando a invasão ao Congresso ainda não havia sido contornada. Além disso, o próprio empresário afirmou em live na manhã do ataque ao Capitólio que esteve com “o filho do presidente do Brasil” na noite anterior.

O vídeo com a fala do empresário foi compartilhado nas redes sociais pelo jornalista Samuel Pancher.

Além de Lindell, há 22 presenças confirmadas na reunião no Trump Hotel, como Michael Flynn, ex-conselheiro de Segurança Nacional do ex-presidente Trump, Peter Navarro, assistente do presidente, Corey Lewandowski, gerente da campanha 2016 de Trump, entre outros.

A bancada do PT no Senado, através do senador Jaques Wagner, apresentará na segunda-feira (8) um requerimento de informações para a embaixada Brasileira em Washington sobre o assunto. 

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.

Você pode estar junto nesta luta.

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR