Líder do ataque nazista em Porto Alegre é cargo de confiança do prefeito

Homem que segurava cartaz com suástica é Gerente de Projetos I em gabinete da gestão Sebastião Melo; denúncia foi feita pelo vereador Leonel Radde (PT)

Líder do ataque à Câmara Municipal de Porto Alegre (RS) ocorrido nesta quarta-feira (20), Antonio Henrique Antunes Bertolin é cargo de confiança do prefeito Sebastião Melo (MDB). De acordo com o Diário Oficial do município, ele foi nomeado Gerente de Projetos I do gabinete da Diretoria-Geral do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Demae).

Segundo o vereador Leonel Radde (PT), o homem estava em horário de trabalho e segurou um cartaz com a suástica nazista durante o protesto. Dados do Portal da Transparência indicam que ele tem um cargo de confiança nível 5, ou seja, um salário que chega a quase R$ 7 mil mensais.

O parlamentar afirmou, ainda, à Revista Fórum, que esta não foi a primeira vez que Bertolin entrou no plenário. Na segunda-feira (19), ele estava circulando normalmente na parte interna da Casa, apesar disso não ser permitido.

Vereadores farão denúncia

Na manhã desta quinta-feira (21), a bancada do PT e da oposição foram à Delegacia de Combate à Intolerância para denunciar os ataques fascistas, racistas e a utilização de símbolos proibidos pelos extremistas.

Um deles, por exemplo, vestia uma camiseta com a bandeira Gadsden, dos Estados Unidos, usada por extremistas e supremacistas estadunidenses, e que marcou presença na invasão de apoiadores de Donald Trump ao Capitólio.

Para Radde, os negacionistas fazem parte de um grupo organizado e financiado por parlamentares e empresários. “Muitos já fizeram outras ações racistas, são pessoas sabidamente nazistas”, relatou à Fórum.

Notícias relacionadas

Na confusão de ontem, vereadores foram agredidos e as parlamentares Bruna Rodrigues (PCdoB), Daiana Santos (PCdoB) e Laura Sito (PT) chamadas de “lixo” e “empregadas” por uma mulher visivelmente descontrolada. Segundo parlamentares, a Guarda Civil Municipal só agiu “no final” e, por isso, os próprios vereadores tiveram que se defender por conta própria.

“Vamos pensar uma ação conjunta em relação ao cargo de confiança e ao descontrole e à falta de segurança evidente e proposital. Boa parte dos indivíduos que estavam lá são armamentistas. Pessoas que tem uma disposição e uma lógica de invasão de espaço para eliminar opositores”, disse Radde.

Publicidade

De acordo com o vereador, eles já fizeram uma lista com o nome dos invasores e por quais gabinetes entraram. O grupo de cerca de 40 pessoas, vestindo roupas verde e amarelo e camisetas das lojas Havan, do bolsonarista Luciano Hang, invadiu a sessão da Câmara para protestar contra o chamado passaporte da vacina.

Os vereadores votariam a derrubada ou manutenção do veto do prefeito Sebastião Melo (MDB) sobre a medida que exige comprovante de vacina contra a Covid-19 para acessar determinados estabelecimentos e eventos.

Publicidade

Em nota, a Câmara Municipal de Porto Alegre informou que “em hipótese alguma aceitará apologia à suástica”. Já a prefeitura de Porto Alegre afirmou que Bertolin não faz parte do quadro de servidores. Ele havia sido nomeado em agosto deste ano e foi exonerado no dia 1º de outubro por não cumprir suas atividades. O desligamento foi publicado no Diário Oficial do município no dia 6 deste mês. Confira vídeos da confusão aqui.

Avatar de Carolina Fortes

Carolina Fortes

Repórter colaborativa no site Emerge Mag e antiga editora-assistente no site da Jovem Pan. Ex-repórter no site Elástica. Formada em jornalismo e faz a segunda graduação em Letras na Universidade de São Paulo (USP). Acredita no jornalismo como forma de impacto social e defende maior inclusão e representatividade.