Fórumcast #20
26 de outubro de 2017, 20h42

Líder do governo Alckmin chama projeto do próprio governador de “burro”

Em audiência pública, o deputado estadual Barros Munhoz (PSDB) criticou o projeto de Alckmin que, aos moldes da “PEC do fim do mundo”, visa congelar os gastos públicos. Assista 

Por Redação

Por essa o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), não esperava. Um de seus principais aliados, o deputado estadual Barros Munhoz (PSDB), líder do governo na Assembleia Legislativa do estado, chamou de “burro” o projeto que o governador tenta aprovar. Em audiência pública realizada nesta quinta-feira (26), Munhoz teceu críticas ao PL 920/2017 que, aos moldes da “PEC do fim do mundo” de Temer”, visa congelar os gastos públicos.

“O envios desses projetos para Casa, com todo respeito meu caro secretário [se referindo ao secretário de Fazenda de Alckmin, Hélcio Tokeshi, presente na audiência], foi a maior burrice que eu já vi na minha vida. Um verdadeiro tapa na cara de quem já está sofrendo”, afirmou.

O PL apresentado pelo governo Alckmin à assembleia é muito parecido com a PEC 241 do governo federal, que congelou os gastos públicos federais por 20 anos. No projeto paulista, o congelamento aconteceria nos próximos dois anos e afetaria áreas como a saúde, educação e o funcionalismo público.

Veja também:  Vice de Dória recebeu R$ 1 milhão em propina da OAS para obra no metrô, diz Léo Pinheiro

“Depois de três anos de sofrimento, sem aumento, os servidores de São Paulo, que são o sustentáculo desse estado, recebem a notícia de um projeto com este teor”, completou o deputado.

Na mesma fala, Munhoz dá ainda mais uma alfinetada no governo Alckmin e chama o próprio autor da proposta de “burro”, sem especificar se está se referindo ao secretário da Fazenda ou ao próprio governador.

“Eu já vi burro querer esconder que é burro, mas burro se jactar de ser burro, eu nunca tinha visto”.

Assista.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum