Fórumcast #20
19 de agosto de 2018, 10h19

Líder LGBT da Bahia é encontrado morto com a genitália mutilada

O ativista era conhecido por divulgar e promover eventos LGBT por toda a região do sudoeste do estado

Marcos Cruz Santana. Foto: Facebook

O líder LGBT, Marcos Cruz Santana, 40 anos, conhecido como “Marquinhos Tigresa”, foi encontrado morto em Itororó (a 547 quilômetros de Salvador), por volta das 2h30 deste sábado (18), com diversas perfurações de faca e a genitália mutilada

Marcos era considerado uma pessoa querida por causa de suas ações sociais. O ativista era conhecido por divulgar e promover eventos LGBT por toda a região do sudoeste do estado. De acordo com o site Itororó Já, a população está inconformada com o crime. A motivação e a autoria do crime são investigadas pela polícia.

Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia (GGB), disse que a morte do líder LGBT “é a mais concreta expressão da homofobia”, devido ao requinte de crueldade, caraterístico de crimes desta natureza. “Estes crimes ocorrem devido à impunidade, uma vez que os agressores, quando presos, não ficam por muito tempo na cadeia”, salienta ele.

Números alarmantes 

Até 15 de maio deste ano, 153 pessoas LGBTs (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) foram mortos no Brasil. Deste total, 62 eram gays, 58 transgêneros (travestis e transesuais), 27 lésbicas, seis bissexuais, segundo dados do Grupo Gay da Bahia (GGB).

Veja também:  Padre que ministra curso sobre maconha medicinal critica Osmar Terra: "Não tem base científica"

No ano passado, foram assinados 445 LGBTs, o que representa uma vítima morta a cada 19 horas. O monitoramento anual é realizado pela entidade há 38 anos.

Com informações de A Tarde


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum