sexta-feira, 18 set 2020
Publicidade

Lideranças políticas se mobilizam para punir deputado do DEM-DF e desembargadora que atacaram Marielle

Damous destacou que a desembargadora Marília Castro Neves “será alvo de ação penal impetrada pela família de Marielle, por crime de calúnia contra mortos” – Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

Várias lideranças políticas estão se mobilizando no sentido de que se puna o deputado federal e presidente do DEM-DF, Alberto Fraga. O deputado federal Wadih Damous, do PT, revelou à Fórum que “ele será alvo de representação no Conselho de Ética da Câmara Federal, com possibilidade de sofrer uma ação penal”. Fraga publicou em seu Twitter graves acusações, sem nenhum fundamento, contra Marielle Franco (PSOL-RJ), assassinada na noite de última quarta-feira (14). Fraga postou, entre outras mentiras, que ela foi esposa de Marcinho VP, traficante atuante na Favela Santa Marta, em Botafogo, no Rio de Janeiro, morto em 2003. Além disso, afirmou que Marielle foi eleita pelo Comando Vermelho.

Damous destacou, ainda, que a desembargadora Marília Castro Neves, por sua vez, que postou nas redes sociais acusações semelhantes, “será alvo de ação penal impetrada pela família de Marielle, por crime de calúnia contra mortos, e também sofrerá uma representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em ação disciplinar”, explicou Damous, que foi presidente da OAB-RJ em duas oportunidades.

Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL, já havia antecipado à Fórum que o partido iria tomar essa providência contra ela, ação confirmada por Jean Wyllys, deputado federal pelo mesmo partido.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.