Lira faz coro com Bolsonaro: “Ninguém é obrigado a cumprir decisão inconstitucional”

Fala se deu como reação ao discurso de Fux, que disse ser do Cogresso Nacional a função de analisar crime de responsabilidade de Bolsonaro caso ele descumpra decisões judiciais

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), fez coro com o presidente Jair Bolsonaro, nesta quinta-feira (9), ao afirmar que “ninguém é obrigado a cumprir decisão [judicial] inconstitucional”.

A fala se deu durante entrevista coletiva quando foi perguntado sobre o duro discurso feito pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, contra as ameaças golpistas de Bolsonaro proferidas durante as manifestações de 7 de setembro.

Na ocasião, o chefe do Executivo disse que não cumprirá mais qualquer decisão do ministro Alexandre de Moraes, adicionando ainda, entre xingamentos, que o magistrado “desrespeita a Constituição”.

Em reação, Fux afirmou que o descumprimento de decisões judiciais, por parte de Bolsonaro, “configura crime de responsabilidade, a ser analisado pelo Congresso Nacional”.

Com mais de 130 pedidos de impeachment em sua gaveta, sem sinalizar que vai abrir nenhum deles, Lira, então, relativizou o discurso de Fux.

“Isso aí é uma análise que o Supremo teve da fala. Existem outras. Nós vamos esperar para ver os acontecimentos. A princípio, a assessoria jurídica está acompanhando a fala na íntegra”, disse o parlamentar.

“Já temos alguns posicionamentos. Fala que decisões inconstitucionais não seriam cumpridas. Ninguém é obrigado a cumprir decisão inconstitucional. Uma decisão correta da Justiça todos nós temos a obrigação de cumprir”, disparou ainda o presidente da Câmara.

Notícias relacionadas

Publicidade

Publicidade
Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR