Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
31 de janeiro de 2019, 08h15

Lotados no gabinete de Flavio Bolsonaro, advogados atuaram em 52 ações particulares do clã na Justiça

A atuação dos servidores pagos pela Alerj vão desde recorrer a multas de trânsito da mulher de Flávio, Fernanda Bolsonaro, a acompanhar a atual primeira-dama, Michelle Bolsonaro, em audiência em que era acusada de ameaça por uma empresária.

(Alerj)

Reportagem de Fábio Leite, na edição desta quinta-feira (31) do jornal O Estado de S.Paulo, revela que os advogados Lygia Regina de Oliveira Martan, Fernando Nascimento Pessoa, Miguel Ângelo Braga Grillo e Victor Granado Alves, que recebiam entre R$ 6,5 mil e R$ 21 mil no gabinete de Flávio Bolsonaro (PSL/RJ) na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) atuaram em pelo menos 52 ações particulares envolvendo o clã Bolsonaro.

A atuação dos servidores pagos pela Alerj vão desde recorrer a multas de trânsito da mulher de Flávio, Fernanda Bolsonaro, a acompanhar a atual primeira-dama, Michelle Bolsonaro, em audiência em que era acusada de ameaça por uma empresária.

Lygia Martan e o assessor Fernando Pessoa entraram com pedido de liminar no 2.º Juizado Especial Fazendário do Rio para tentar anular uma multa de trânsito aplicada pelo Detran do Rio a Fernanda Bolsonaro. A mulher do senador eleito havia sido parada em uma blitz da Lei Seca e se recusou a fazer o teste do bafômetro. O juiz indeferiu o pedido e depois a defesa desistiu da ação.

Victor Alves atuou em 13 processos judiciais para o pai, Jair Bolsonaro, a maioria em ações de indenização por danos morais movidas pelo ex-deputado federal contra adversários políticos, jornalistas e veículos de imprensa.

Na Câmara dos Deputados, Bolsonaro tinha à disposição uma verba mensal de R$ 92 mil para contratar até 25 assessores. Um dos casos defendidos por Alves foi a denúncia feita pelo Ministério Público Federal contra Bolsonaro por pesca ilegal em área protegida de Angra dos Reis, em 2012. A ação foi julgada improcedente pelo STF em 2016.

Leia a reportagem na íntegra.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum