Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de dezembro de 2019, 17h05

Ludmilla ironiza deputado bolsonarista que apresentou moção de repúdio à música “Verdinha”

Parlamentar criticou trecho que cantora diz que vai "tacar fogo em mais um só pra não ficar maluca"; Ludmilla criticou com bom humor: "Fala sobre alface"

Reprodução/YouTube

A cantora Ludmilla respondeu nesta sexta-feira (6) a uma proposta legislativa do deputado federal Cabo Junio Amaral (PSL-MG) que defende a aprovação de uma moção de repúdio da Câmara dos Deputados contra a artista por conta da música “Verdinha”. Amaral, que deve ser juntar ao Aliança pelo Brasil, diz que a cantora faz apologia às drogas.

“Requer a aprovação de moção de repúdio contra a cantora Ludmilla, em razão da música ‘Verdinha’, em que se faz clara apologia à prática de condutas criminosas, como o plantio, a venda e o consumo de drogas”, diz o texto apresentado pelo deputado no Requerimento 179/2019 da Comissão de Segurança Pública (CSPCCO).

Ao ser apresentada na CSPCCO, a matéria ganhou adesões: Major Fabiana (PSL-RJ), Sargento Fahur (PSD-PR), Delegado Antônio Furtado (PSL/RJ), Aluisio Mendes (PSC-MA), Guilherme Derrite (PP-SP), Mara Rocha (PSDB-AC), Edna Henrique (PSDB-PB).

A cantora reagiu nas redes após a página “Proposições que vão mudar sua vida”, que ironiza projetos curiosos do Poder Legislativo, compartilhar o texto. “Milhões de brasileiros, desempregados, sem moradia, hospitais sem vagas, a violência predominate, poluição a questão ambiental, a rede pública de educação miserável, mas o maior problema que o Brasil tem no momento é uma música que fala de alface😹 brinca mais que a brincadeira”, disse Ludmilla, que gravou o clipe da música em um cultivo de Alface.

Na justificativa apresentada, Amaral diz que a “infeliz música […] acaba servindo de estímulo para a prática de condutas criminosas”. “A funkeira canta sobre plantar, vender e usar maconha: “Eu fiz um pé lá no meu quintal, tô vendendo a grama da verdinha a um real”. Em outros trechos, Ludmilla também canta que vai “tacar fogo em mais um só pra não ficar maluca”, em referência a acender um cigarro da planta, e que ficou “locona, chapadona, só com a marola da juana”, abreviando a palavra “marijuana”, um dos nomes para a maconha”, disse, mostrando-se conhecedor do tema.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum