Fórumcast, o podcast da Fórum
15 de maio de 2019, 17h05

Lula concede entrevista ao jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept Brasil

Essa é a terceira entrevista de Lula desde que foi preso, em abril de 2018; de acordo com Glenn, a entrevista consistiu em "uma discussão abrangente sobre Bolsonaro, a ascensão da direita nacionalista, os problemas da esquerda, Trump, Venezuela e muito mais"

Foto: Daniel Moraes

O jornalista Gleen Greenwald, fundador e editor do The Intercept Brasil, entrevistou, na manhã desta quarta-feira (15), o ex-presidente Lula na superintendência da Polícia Federal em Curitiba (PR). Essa é a terceira entrevista concedida pelo petista desde que foi preso, em abril de 2018.

Na primeira entrevista, concedida à Mônica Bergamo (Folha de S. Paulo) e Florestan Fernandes Júnior (El País Brasil), Lula reafirmou que continuará lutando pela sua inocência e teceu duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro. A mesma linha foi seguida pelo ex-presidente na segunda entrevista, concedida ao jornalista Kennedy Alencar (BBC World News).

Pelo Twitter, Glenn Greenwald adiantou que a entrevista consistiu em “uma discussão abrangente sobre Bolsonaro, a ascensão da direita nacionalista, os problemas da esquerda, Trump, Venezuela e muito mais”.

“O que quer que se pense sobre Lula e suas alegações de corrupção – e nada está claro sobre isso – ele é um dos poucos líderes mundiais a vencer e governar com grande popularidade usando o populismo de esquerda. Vale muita apena ouví-lo sobre as mudanças políticas globais contemporâneas”, completou o jornalista.

Uma prévia da entrevista ao The Intercept Brasil será divulgada, nos próximos dias, através de um teaser e, na sequência, será veiculada a íntegra, em inglês e português.

 

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum