Lula condena tentativa de privatização do SUS por Bolsonaro: “É urgente a defesa do SUS”

O ex-presidente criticou o polêmico decreto 10.530, que tem sido apontado como um primeiro passo para a privatização do Sistema Único de Saúde

O ex-presidente Lula criticou nesta quarta-feira (28) a publicação do Decreto Nº 10.530, que abre espaço para a privatização de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS) em meio à pandemia do novo coronavírus, por parte do presidente Jair Bolsonaro. Parlamentares de PT e PCdoB tentam derrubar o texto no Congresso Nacional.

Leia também: Entenda o que o decreto de Bolsonaro mudaria no SUS e como destruiria a saúde pública

“O SUS é um patrimônio a serviço do povo brasileiro e não pode ser privatizado. Foi na pandemia do coronavírus que os brasileiros viram de perto a importância de um sistema público gratuito e universalizado para a sobrevivência e proteção dos nossos cidadãos”, disse o ex-presidente em seu Twitter.

Lula ainda classificou como “urgente” a defesa do SUS. “Agora, Bolsonaro ataca o SUS e caminha para privatizar a saúde, em mais um decreto nefasto de um governo que parece cada dia mais comprometido com a morte. É urgente a defesa do SUS. É urgente defender a vida”, completou.

O texto foi criticado por parlamentares, ex-ministros da Saúde e pelo presidente do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Fernando Pigatto. “Nós, do Conselho Nacional de Saúde, não aceitaremos a arbitrariedade do presidente da República, que no dia 26 editou um decreto publicado no dia 27, com a intenção de privatizar as unidades básicas de saúde em todo o Brasil”, disse Pigatto em vídeo. Ele garantiu que o CNS estuda judicializar a questão.

O decreto diz o seguinte: “Fica qualificada, no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos da Presidência da República – PPI, a política de fomento ao setor de atenção primária à saúde, para fins de elaboração de estudos de alternativas de parcerias com a iniciativa privada para a construção, a modernização e a operação de Unidades Básicas de Saúde dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios”. A medida ainda passa ao Ministério da Economia a decisão sobre as “parcerias”.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR