Lula diz que, como chefe de Estado, reconhece direito da mulher ao aborto

Ex-presidente afirmou se tratar de uma questão de saúde pública, apesar de pessoalmente ser contra

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou durante entrevista para o rapper Mano Brown, no podcast Mano a Mano que pessoalmente é contra o aborto, mas enquanto chefe de Estado tem que reconhecer que é “um direito da mulher” e uma questão de “saúde pública”. Para ele, todas as mulheres devem ter a chance de receber tratamento digno.

“Não tenho vergonha de dizer que eu, Lula, pai de cinco filhos, sou contra o aborto. Mas, enquanto chefe de Estado, tenho que tratar o assunto como saúde pública. Eu acho que o aborto é um direito da mulher. Não preciso ser favorável, mas tenho que cuidar para que todos sejam tratados dignamente pela saúde pública”, disse o ex-presidente.

Lula disse ainda que é católico, mas que, como chefe de Estado, precisa levar em consideração todas as religiões. “Você não tem que ter preferência enquanto chefe de Estado. É como o aborto”, completou.

O episódio do podcast foi pras redes na quinta-feira (9). Além de falar sobre o assunto, Lula também comparou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a ditadores.

Segundo ele, o atual mandatário da República não deve ser considerado um político de direita, pois “está mais para Hitler e Mussolini”.

Ouça o episódio no Spotify

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR