Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
26 de dezembro de 2019, 15h05

Lula é indiciado por supostas doações irregulares da Odebrecht ao Instituto Lula

A Polícia Federal afirma que há "robustos indícios" de que o presidente foi beneficiado por doações da Odebrecht ao Instituto Lula

Foto: Ricardo Stuckert

Após o Ministério Público acusar o ex-presidente Lula de suposto beneficiamento em um terreno em São Bernardo do Campo que teria sido destinado pela Odebrecht para a construção do Instituto Lula, o instituto agora é alvo da Polícia Federal por supostas doações irregulares. Em inquérito concluído na segunda-feira (23), Lula, o ex-ministro Antonio Palocci e mais duas pessoas são indiciadas.

“As evidências mostraram que os recursos transferidos pela Odebrecht sob a rubrica de ‘doações’ foram abatidos de uma espécie de conta-corrente informal de propinas mantida junto à construtora, da mesma forma ocorrida com aqueles destinados à aquisição do imóvel para o Instituto Lula”, diz o inquérito que aponta que Lula teria recebido R$ 4 milhões da empreiteira por meio do instituto.

Sem citar exatamente as acusações, o órgão afirma que há “robustos indícios” que apontam “a origem ilícita dos recursos e, via de consequência, da prática dos crimes de corrupção ativa e passiva, considerando o pagamento de vantagem indevida a agente público em razão do cargo por ele anteriormente ocupado”.

Além de Lula e Palocci, Paulo Okamoto, presidente do instituto, e  o empreiteiro Marcelo Odebrecht foram indiciados por corrupção e lavagem de dinheiro. O inquérito será encaminhado ao Ministério Público.

Em nota, o advogado Cristiano Zanin, que faz a defesa de Lula, afirmou que “o indiciamento não faz nenhum sentido”. “As doações ao Instituto Lula foram formais, com origem identificada e sem qualquer contrapartida. À época das doações Lula não era agente público e o beneficiário foi o Instituto Lula”, afirma.

“Este é mais um capítulo do lawfare promovido pela ‘lava jato’ de Curitiba contra o ex-presidente Lula. É o uso estratégico do Direito para fins de deslegitimar, prejudicar ou aniquilar um inimigo. A delação do ex-ministro é mentirosa e foi construída para servir de instrumento para a prática de lawfare contra o ex-presidente Lula”, completou o advogado.

Com informações do G1


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum