Fórumcast, o podcast da Fórum
07 de agosto de 2019, 18h39

“A desmoralizada República de Curitiba não está acima da lei”, diz Boulos sobre suspensão da transferência de Lula

Wadih Damous declarou: “Nunca vi no Parlamento algo parecido: a quase unanimidade dos partidos políticos pediu que o Supremo não permita a transferência do Presidente Lula. Foi emocionante”

Foto: Agência Brasil

Personalidades do mundo político comentaram a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de suspender a transferência de Lula para o presídio de Tremembé, no interior de São Paulo.

Guilherme Boulos (PSOL), líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e ex-presidenciável, postou no Twitter:

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo.

“Supremo acaba de barrar a transferência arbitrária de Lula. A desmoralizada República de Curitiba não está acima da lei. Agora é exigir o fim da prisão política de Lula. #LulaLivre”, disse.

Solidariedade

O advogado Wadih Damous (PT), ex-presidente da OAB-RJ e ex-deputado federal, participou da reunião com parlamentares de diferentes partidos, que se dirigiram ao STF para contestar a decisão das Justiças do Paraná e de São Paulo de transferir o ex-presidente.

“Acabo de sair da reunião com o Presidente do STF. Nunca vi no Parlamento algo parecido: a quase unanimidade dos partidos políticos pediu que o Supremo não permita a transferência do Presidente Lula. Foi emocionante”, escreveu Damous em suas redes sociais.

Vitória da democracia

Juliano Medeiros, presidente nacional do PSOL, também comentou a decisão do STF que determinou, por 10 votos a 1, a suspensão da decisão de transferência do ex-presidente Lula para o presídio do Tremembé em São Paulo.

“Maioria do STF derruba transferência de Lula. Ex-presidente seguirá no Paraná, na sede da Superintendência da PF. Derrota acachapante da Lava Jato e vitória da democracia. #LulaLivre”, escreveu.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum