Fórumcast, o podcast da Fórum
05 de julho de 2019, 20h23

Lula: “O que deixa eles mais nervosos é saber que eles não conseguem acabar com o PT”

Em entrevista ao Sul21, ex-presidente falou sobre os rumos do partido e enalteceu quadros da legenda, como Fernando Haddad, Gleisi Hoffmann e Tarso Genro

Lula (Foto: Guilherme Santos/Sul21)

Na terceira parte da entrevista concedida ao site Sul21 divulgada nesta sexta-feira (5), o ex-presidente Lula fez um balanço da atual situação de seu partido, o PT, e reforçou o orgulho que sente por sua legenda.

Para Lula, o partido, apesar dos reveses que vem enfrentando nos últimos anos, continuará “no páreo”, e é o fato de os partidos que hoje compõem o governo não conseguirem destruir sua agremiação que os deixa “nervosos”.

“O que eu acho que deixa eles mais nervosos é saber que eles não conseguem acabar com o PT. Nós estamos apanhando desde 2005. Não é pouca coisa. Agora mesmo nas eleições de 2018, me tiraram da campanha e o Haddad teve 47 milhões de votos. O Haddad não ganhou porque inventaram algumas mentiras muito pesadas. Aquela do kit gay foi muito pesada. Mas eles sabem que o PT é forte, que é o maior e mais organizado partido do Brasil. Todo mundo é assim. Tem tempo que o Internacional é campeão, tem tempo que o Grêmio vira campeão. O PT vai ganhar e vai perder. Agora, pode ficar certo de uma coisa. O PT sempre estará no páreo. E o PT não troca de nome não por causa de uma denúncia. Se alguém nosso cometeu um erro, que pague pelo erro. Nós continuaremos a ser PT, a ter orgulho da nossa bandeira vermelha, da nossa estrela. Eu não confundo. O meu país é o Brasil, mas o meu partido é o PT”, afirmou.

O ex-presidente, neste ponto da entrevista, ainda enalteceu quadros do partido, como Fernando Haddad e a deputada federal Gleisi Hoffmann, e defendeu que o ex-governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, componha a direção nacional da sigla.

“Nós vamos ter um congresso agora. Acho que o PT tem que se preocupar em escolher uma direção que esteja representada pelos melhores quadros brasileiros. Eu acho, por exemplo, que o Tarso Genro deveria voltar para a direção nacional do partido para participar do debate político. Não precisa ter uma tarefa na Executiva se não quiser, mas pode participar do debate. Acho também que o PT precisa trazer alguns intelectuais importantes para esse debate. É importante que ele não se dê somente entre os petistas militantes para que a gente consiga extrair o pensamento da sociedade para as nossas decisões”, afirmou.

O petista prosseguiu. “Todo mundo sabe que o Haddad saiu muito fortalecido da campanha e que ele é um quadro excepcional. O Haddad tem todas as qualidades que eu tenho sem ter os defeitos que eu tenho. Ele é muito mais competente e é um quadro muito experimentado. Acho que o Haddad tem um futuro muito promissor dentro do PT e fora do PT. A Gleisi é uma presidenta extraordinária, que valoriza muito a participação da mulher. O partido precisa fazer um conjunto de dirigentes com o que a gente tem de melhor. O que o PT precisa fazer também, e já está começando a fazer, é pegar o programa com que o Haddad disputou as eleições e transformá-lo em um conjunto de medidas, seja por meio de emendas constitucionais ou projetos de lei, para o debate das coisas que nós queremos que aconteçam no Brasil”, declarou.

Confira a íntegra da terceira parte da entrevista de Lula ao Sul21 aqui.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum