Fórum Educação
23 de abril de 2020, 10h15

Lula sobre julgamento na madrugada: “Acham que isso vai diminuir as críticas a Bolsonaro”

Ex-presidente diz não estar preocupado com o julgamento e que sua consciência está "mais tranquila do que a de Moro". Defesa de Lula pediu adiamento do recurso no STJ

Lula (Foto: Reprodução)

O ex-presidente Lula (PT) comentou em entrevista à rádio Povo do Ceará nesta quinta-feira (23) sobre a decisão do Supremo Tribunal de Justiça (STJ) em agendar na madrugada desta quarta-feira (22) o julgamento de um recurso da defesa do petista no caso do triplex do Guarujá. Para Lula, trata-se de uma nova “cortina de fumaça” que busca diminuir as críticas ao presidente Jair Bolsonaro em meio à pandemia.

Questionado sobre uma possível preocupação com relação ao julgamento, o ex-presidente disse estar tranquilo. “Se tiver, entre os 210 milhões de brasileiros, um ser humano com consciência tranquila, sou eu. Quando decidi ir para Curitiba, fui porque preciso provar que a força-tarefa de Curitiba é mentirosa, que Moro é mentiroso. Eu to muito tranquilo”, disse.

“Eu fiquei surpreso que isso tenha acontecido na calada da noite, sem avisar sequer a defesa. Eles acham que isso vai diminuir as críticas ao Bolsonaro. Mas não to preocupado. Se tivesse uma balança para medir consciência pesada, eu mediria com Moro e com todos eles, para verem como a consciência de Moro está mais pesada do que a minha”, continuou.

A análise do caso começou na tarde desta quarta e deverá continuar até o próximo dia 28. A defesa do ex-presidente entrou com um pedido de adiamento de recurso, argumentando pouco tempo para a elaboração de uma resposta.

Na entrevista à rádio cearense, o ex-presidente também comentou sobre a importância da campanha do “Fora, Bolsonaro” para viabilizar o impeachment do ex-capitão. Para Lula, não há saída para a crise do coronavírus com Bolsonaro no poder.

“Eu cheguei à conclusão que não tinha saída para o Brasil com o Bolsonaro. Ele não quer. Não é possível que ele tenha um ministro como Guedes que só tem interesse em vender o patrimônio público. É o mesmo dinheiro que tá rodando, quando deveria estar rodando dinheiro novo, como estão fazendo muitos países do mundo”, disse o ex-presidente.

“Se a gente quiser saída, não será com Bolsonaro. Temos que começar o movimento ‘Fora, Bolsonaro’, porque se ninguém começar não vai acontecer. Não podemos ficar só observando Bolsonaro destruir a democracia. Ele não gosta da democracia e não gosta da política, ele só viveu às custas da política”, continuou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum