O que o brasileiro pensa?
30 de junho de 2020, 19h45

Maia contraria Bolsonaro e reafirma que auxílio emergencial foi criado pelo Congresso

O benefício de R$ 600 ganhou mais dois meses de vigência após pressão do Parlamento

Foto: Agência Brasil

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), voltou a afirmar nesta terça-feira (30) que o auxílio emergencial de R$ 600 é um conquista garantida pelo Congresso Nacional. O presidente Jair Bolsonaro tem tentado colocar seu governo como o “pai” do benefício, apesar de ter defendido inicialmente um valor três vezes menor.

“Neste momento de crise, numa pandemia nunca vivenciada pela nossa população, o Congresso Nacional, dialogando com o governo, criou um auxílio emergencial que atende mais de 60 milhões de brasileiros”, declarou o parlamentar pelo Twitter.

Maia deu a declaração após participar de cerimônia de expansão do auxílio realizada no Palácio do Planalto. Por pressão do presidente da Câmara e de partidos de oposição, o benefício ganhou mais dois meses de vigência no valor integral. Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, queriam uma redução gradual do valor.

“Garantimos por mais 2 meses o pagamento do auxílio emergencial. A prorrogação demonstra compreensão do que significa o processo de investimento na área social para reduzir desigualdades no Brasil. E, mais uma vez, um projeto que nasceu no Parlamento foi ratificado pelo governo”, escreveu ainda Maia.

O auxílio de R$ 600 foi aprovado no Congresso Nacional após uma disputa entre governo e oposição. Enquanto o presidente e Guedes queriam implementar um “voucher” de R$ 200, a oposição reivindicava uma renda básica emergencial de um salário mínimo.

Após pressão de Maia, o auxílio ficou em R$ 600, com possibilidade de duplicação em caso de famílias de mães solteiras. Mesmo assim, o governo tem feito propaganda como se o benefício fosse uma iniciativa exclusiva do Planalto.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum