Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
26 de novembro de 2018, 09h47

Manuela D’Ávilla: “Bolsonaro é um tuíte, não fala mais que 140 caracteres”

Em entrevista ao jornal argentino Página 12, deputada disse que caberá às mulheres assumir o vácuo deixado pelo Estado com políticas neoliberais que atingirá a educação das crianças.

Manuela na Vigília Lula Livre. Foto: Eduardo Matysiak

Em entrevista a jornalista Sofía Solari, no jornal argentino Página 12, Manuela D’Ávilla (PCdoB), deputada estadual pelo Rio Gande do Sul que compôs a chapa como vice de Fernando Haddad na disputa presidencial, prevê anos “muito mais cruéis e privatizantes do que vivemos durante o governo FHC” e afirmou que o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) não pode ser acusado de “mentir” porque nunca teve propostas claras.

Leia também: Em sequência de tuítes, Manuela mostra caminho de fake news: “quem financia essa rede de mentiras e ódio?”

“Se pode dizer tudo de Bolsonaro, menos que ele mentiu, porque quando nunca falou. Ninguém sabe o que ele vai fazer porque não tem uma proposta, não disse nada, não participou de debates. E, quando participou, antes do atentado que sofreu, dizia que não tinha planos, que não entendia de economia porque não é economista e que não sabia dizer o que faria com a saúde. Bolsonaro é um tuíte, não fala mais que 140 caracteres”, disse Manuela, que participou em Buenos Aires do Fórum de Pensamento Crítico, da Clacso.

Fórum precisa ter um jornalista em Brasília em 2019. Será que você pode nos ajudar nisso? Clique aqui e saiba mais

Segundo Manuela, as mulheres terão de assumir o papel do estado diante das políticas neoliberais propostas pelo governo Bolsonaro, em especial pelo economista Paulo Guedes.

“Porque se é dito que o Estado tem que ser menor, alguém tem que assumir o papel do Estado e esse alguém não são os homens em uma sociedade machista, são as mulheres. Então, se teremos menos dinheiro para a educação, se não temos bolsas de estudos para as crianças, e temos um presidente – como nós temos no Brasil – que diz que vai acabar com a educação presencial e privilegiar a educação à distância, quem vai ficar com as crianças? As mulheres”, afirmou.

Agora que você chegou ao final desse texto e viu a importância da Fórum, que tal apoiar a criação da sucursal de Brasília? Clique aqui e saiba mais


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum