O que o brasileiro pensa?
12 de maio de 2020, 09h05

Mesmo descontada justificativa, gasto de Bolsonaro com cartão é o mais alto dos últimos cinco anos

Ao justificar gasto com cartão corporativo, Bolsonaro usou resgate de brasileiros em Wuhan. Mesmo assim, o valor ficou 59% maior que os de Dilma e Temer

Jair Bolsonaro - Foto: Alan Santos/PR

Mesmo ao descontar a justificativa do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) de que usou o cartão corporativo para resgatar brasileiros em Wuhan, na China, os gastos sigilosos da Presidência da República com cartão corporativo, aumentaram nos primeiros quatro meses do ano.

Segundo Bolsonaro, foram utilizados R$ 739.598, via cartão corporativo, com os três voos enviados ao país asiático em fevereiro deste ano. Como mostrou reportagem do Estadão, no domingo, as despesas sigilosas vinculadas a ele foram de R$ 3,76 milhões neste ano, segundo informações do Portal da Transparência. O valor representa um aumento de 98% em relação à média dos últimos cinco anos no mesmo período.

Mesmo abatido o valor citado por ele com os voos para a China, os R$ 3 milhões relacionados a outros gastos sigilos ainda assim representam uma alta de 59% em relação à média do que gastaram Dilma Rousseff e Michel Temer, seus antecessores no cargo.

Bolsonaro insistiu no valor dos voos para a China para justificar os gastos: “O que eu posso falar da China é que a imprensa, como sempre, dá licença aí, a imprensa como sempre criticando o cartão corporativo”, afirmou o presidente, em frente ao Palácio da Alvorada, no domingo. “Parte da operação da China, três aviões da FAB, por ser avião militar, foi financiada com cartão corporativo meu. Apareceu eu usando o cartão para fazer festa. Falta de caráter e de responsabilidade dessa imprensa aí”, disse.

O cálculo que aponta o gasto de R$ 3,76 milhões leva em conta apenas os valores vinculados à Secretaria Especial de Administração, que é responsável por despesas do presidente e de sua família, das residências oficiais e demais gastos corriqueiros – material de escritório do gabinete presidencial, por exemplo. Quando considerados outros órgãos vinculados à Presidência da República, como o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), o valor salta para R$ 7,55 milhões neste início de ano – aumento de 91% em relação à média do mesmo período.

A hashtag “MostraAFaturaBolsonaro” ficou na lista de assuntos mais comentados do Twitter nesta segunda-feira.

Com informações da Agência Estado


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum