Fórumcast, o podcast da Fórum
25 de outubro de 2018, 20h41

“Mesmo se a candidatura progressista ganhar, teremos de lidar com a violência”, diz Rafucko

Na avaliação do ativista LGBT e humorista, “Bolsonaro é perigoso, mas as semelhanças entre o atual momento político brasileiro e os tempos onde Hitler foi alçado ao poder são muito grandes para a gente ignorar”

Foto: Arquivo Pessoal

O ativista LGBT e humorista Rafael Puetter, o Rafucko, divulgou um vídeo em suas redes sociais, no qual compara Jair Bolsonaro a Adolf Hiltler. Rafucko, que está em Berlim, onde faz mestrado em arte e política na Universidade das Artes (UdK), em contato com a Fórum, explica as razões que o levaram a produzir o vídeo e, além disso, faz uma análise do cenário político nacional. Rafucko produz vídeos, performances e instalações de sátira política. Ficou conhecido em 2013, quando cobriu os grandes protestos contra a Copa do Mundo e as Olimpíadas em seu canal do YouTube. Usando de humor, aborda temas como homofobia, violência policial, corrupção e mídia.

Fórum – O que motivou você a publicar o vídeo comparando Bolsonaro e Hitler?
Rafucko –
Existe um conceito chamado “Lei de Godwin”, que diz que, em algum momento, em uma discussão na internet, alguém vai comparar seu opositor a Hitler. Tentei não cair nessa ferramenta para provar que Bolsonaro é perigoso, mas as semelhanças entre o atual momento político brasileiro e os tempos onde Hitler foi alçado ao poder são muito grandes para a gente ignorar. O próprio Mike Godwin (jurista norte-americano) disse em seu twitter que a comparação, neste caso, não é exagerada!

Tradução do post de Mike Godwin: 

“Parece ser uma comparação pensativa, historicamente desinformada. Não me ocorreu que (Se eu entendi corretamente o português) Hitler nunca tenha abraçado publicamente o uso da tortura do jeito que Bolsonaro fez. #EleNão”.

Fórum – Como você observa o atual cenário político, com Bolsonaro liderando todas as pesquisas?
Rafucko –
Assustador e triste. Mas não me surpreende. Nasci e cresci em meio a pessoas racistas, homofóbicas, preconceituosas, em geral. O brasileiro é muito violento e, no decorrer dos últimos anos, encontrou espaços para vocalizar esse ódio ao próximo.

Fórum – Qual a sua análise das ocorrências frequentes de violência contra opositores de Bolsonaro, contra negros, nordestinos e o segmento LGBT?
Rafucko –
Acredito que o Brasil estava evoluindo nessa questão: a violência sempre existiu, mas era menos socialmente aceita. Creio que não só políticos como Bolsonaro tornam essa violência aceitável, há também a vertente cultural, dos ditos “politicamente incorretos”, como Danilo Gentilli e Rafinha Bastos, que promoveram discursos de ódio nos últimos anos – e lutaram para tornar essa violência verbal uma coisa normal.

Fórum – Você ainda acredita em uma vitória da candidatura do campo progressista?
Rafucko –
Tenho um fio de esperança, mas estou pessimista (ou realista). Só vamos saber no domingo à noite – e, mesmo se a candidatura progressista ganhar, teremos de lidar com a violência. Eles já sinalizaram que não estão dispostos a aceitar os resultados.

Fórum – Você já fez um exercício mental e uma projeção de como ficaria o Brasil, em caso de vitória de Bolsonaro?
Rafucko –
Espero o pior. Legalização de armas em um país violento como o Brasil vai levar a mais mortes de inocentes. A polícia, que já tem carta branca para matar, vai ser condecorada pelos seus crimes. A Amazônia vai acabar. Por ser financiado pela indústria armamentista, não descarto a possibilidade de iniciar uma guerra. Não há um aspecto positivo que consigo vislumbrar.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum