Michelle Bolsonaro posa com caixas gigantes de cloroquina e ivermectina em viagem oficial

Primeira-dama gargalhou quando viu as caixas. CPI do Genocídio vai investigar recomendação do governo para uso dos medicamentos, que são ineficazes contra a Covid-19

Em viagem oficial no interior de São Paulo, na última terça-feira (20), a primeira-dama Michelle Bolsonaro posou para fotos segurando caixas gigantes de cloroquina, ivermectina e nitazoxanida, medicamentos sem eficácia contra a Covid-19. Segundo a coluna de Guilherme Amado, na revista Época, Michelle gargalhou quando viu as caixas.

A primeira-dama estava acompanhada da ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos, Damares Alves. As duas viajaram para eventos do programa Pátria Voluntária em três cidades do interior paulista: São José do Rio Preto, Araçatuba e Presidente Prudente.

Um dos temas a serem investigados na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19, apelidada de CPI do Genocídio, que vai apurar as ações e omissões do governo de Jair Bolsonaro no combate à pandemia do coronavírus, será justamente a recomendação do uso de hidroxicloroquina contra a doença.

Em junho do ano passado, o Ministério enviou para a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) um documento que cita como “medidas essenciais a tomar e divulgar” a prescrição do remédio. Além disso, o próprio presidente Jair Bolsonaro já recomendou diversas vezes o uso do medicamento, mesmo após especialistas concluírem que a droga não é eficaz contra a Covid-19.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.