terça-feira, 27 out 2020
Publicidade

“Minha vontade é pegar um trezoitão e cravar neles”, disse Mandetta sobre filhos de Bolsonaro, segundo ex-assessor

Em livro, ex-diretor de comunicação do Ministério da Saúde também revela telefonema de Michelle Bolsonaro a Mandetta: "Meu coração está triste pela sua saída, viu?”, teria dito a primeira-dama

Antes de se despedir do Ministério da Saúde, em cerimônia aparentemente cordial no Palácio do Planalto ao lado de Jair Bolsonaro, o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) teria revelado seus desejos mais íntimos em relação a Carlos, Flávio e Eduardo, os filhos do presidente.

“Minha vontade é pegar um trezoitão e cravar neles. Pelo menos passava a minha raiva”, teria dito Mandetta, segundo o então diretor de Comunicação do Ministério da Saúde, Ugo Braga, que conta os bastidores da gestão do demista em seu livro “Guerra à Saúde”, que será lançado no dia 10 de novembro.

De acordo com a coluna de Mônica Bergamo, que antecipou trechos do livro na edição deste sábado (17) da Folha de S.Paulo, Mandetta acreditava que “o presidente é bom, é bem-intencionado. O problema é aqueles filhos dele, que ficam o dia inteiro xingando nas redes sociais. Sorte que eu não mexo com essas coisas…”

Em outro trecho do livro, Braga conta que em uma reunião no dia 2 de abril, representantes de Bolsonaro teriam sugerido a transferência de idosos das favelas do Rio de Janeiro para hotéis. “Eles querem isolar o idoso e botar os jovens para trabalhar, para se infectarem”, teria dito uma das pessoas que participaram do encontro.

O ex-diretor de Comunicação revela ainda que a primeira-dama, Michelle Bolsonaro, ficou triste e ligou para Mandetta para se despedir. “Eu estou ligando para dizer que meu coração está triste pela sua saída, viu?”, teria dito Michelle.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.