Ministro do STF diz que Bolsonaro caminha para a ingovernabilidade

Falta de uma estratégia de vacinação, suspeitas de corrupção e descontrole retórico formam as condições que têm feito parlamentares se desgarrarem da base aliada

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) afirmou à coluna de Guilherme Amado, no Metrópoles, que a administração do presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) caminha para uma situação de ingovernabilidade.

O ministro, com quem o presidente costuma dialogar, falou à coluna que a falta de uma estratégia nacional de vacinação, as suspeitas de corrupção que pairam sobre o governo e o descontrole retórico do presidente formam as condições que têm feito deputados e, principalmente, senadores se desgarrarem da base aliada.

“Tem um cheiro de ingovernabilidade no ar. A pandemia segue sem controle. A situação do governo no Senado já mostra que não há mais maioria. A privatização da Eletrobras passou raspando. A CPI está descontrolada. Na Câmara, o voto impresso, principal causa do presidente hoje, será derrotado. Caminha-se para Bolsonaro não conseguir mais governar”, afirmou o ministro, sob a condição do anonimato.

Ainda de acordo com ele, entre os seus pares no STF ninguém acredita na possibilidade de um impeachment. A principal razão é a proximidade das eleições, daqui a um ano e dois meses e meio. Na leitura deste mesmo ministro, “não faria sentido” tirar Bolsonaro tão perto de um pleito:

“O impeachment da Dilma (Rousseff) deixou um trauma. Fazer outro impeachment agora seria difícil. E não faria sentido sendo a eleição daqui a um ano”.

Com informações da coluna de Guilherme Amado

Avatar de Julinho Bittencourt

Julinho Bittencourt

Jornalista, editor de Cultura da Fórum, cantor, compositor e violeiro com vários discos gravados, torcedor do Peixe, autor de peças e trilhas de teatro, ateu e devoto de São Gonçalo - o santo violeiro.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR