Missão Universal: Mourão levou 17 servidores a Angola ao custo de R$ 340 mil

Comitiva do governo brasileiro liderada pelo vice-presidente e composta por deputados evangélicos, que foi à nação africana defender interesses de Edir Macedo, sequer foi ouvida pelas autoridades locais

O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, assinou uma portaria no dia 2 de julho autorizando a liberação de 17 servidores federais para acompanhá-lo na viagem oficial que fez a Angola, na última semana, que teve por finalidade tratar dos negócios da Igreja Universal do Reino de Deus naquele país, de onde foi expulsa pelo governo de João Lourenço.

Os dados sobre a missão, lançados no site Painel de Viagens, vinculado ao Ministério da Economia, ainda não foram concluídos, mas até o momento o custo desses servidores com passagens e diárias já ultrapassa R$ 340 mil.

Embora a razão oficial da visita fosse uma reunião da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Mourão se reuniu com o chefe de Estado angolano para interceder na crise que a organização religiosa enfrenta por lá, levando a tiracolo uma comitiva de deputados federais ligados à seita de Edir Macedo, liderados pelo “bispo” Marcos Pereira (Republicanos-SP).

O plano não deu certo. João Lourenço não quis tratar do assunto e as autoridades locais negaram qualquer reunião para ouvir os argumentos dos parlamentares evangélicos que acompanharam Mourão na travessia do Atlântico.

Crise da IURD na África

Há poucos meses, a Procuradoria-Geral da República angolana e o Serviço de Investigação Criminal (SIC) identificaram, com várias provas, a existência de um sofisticado e robusto esquema, dentro da Igreja Universal do Reino de Deus, de “branqueamento de capitais”, como chamam as autoridades locais o crime batizado por aqui de lavagem de dinheiro.

Fartos dos problemas causados seita extremista em seu território, o governo do presidente João Lourenço baniu a administração brasileira da instituição e deu o controle da igreja para membros locais da entidade. Várias lideranças brasileiras da IURD que viviam lá foram expulsas do país.

Notícias relacionadas

Avatar de Henrique Rodrigues

Henrique Rodrigues

Jornalista e professor de Literatura Brasileira.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR