Moro compara Lula a Bolsonaro: “são extremos que devem ser evitados”

Ele afirmou ainda que um dos problemas na luta contra a corrupção “foi uma falta de apoio maior da parte do Palácio do Planalto”

O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, afirmou em entrevista à agência France-Presse, realizada nesta segunda-feira (6), que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido-RJ) possuem “um caráter um tanto populista” e são exemplos de extremos do espectro político brasileiro, que “devem ser evitados”.

“Ambos têm um caráter um tanto populista na formulação das políticas públicas, com a diferença de que o presidente Bolsonaro seria um populista de direita, e Lula, de esquerda”.

Moro disse ainda que, “de certa maneira, [Bolsonaro e Lula] são dois extremos, na minha opinião respeitosa, que devem ser evitados”.

Sobre a luta contra a corrupção no tempo em que permaneceu no governo, o ex-ministro afirmou: “conseguimos avançar principalmente no combate à criminalidade violenta e ao crime organizado, mas em relação à corrupção, não tanto. Um dos problemas, na minha opinião – e com todo o respeito – foi uma falta de apoio maior da parte do Palácio do Planalto”.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.