Movimento de favelas apresenta 108º pedido de impeachment contra Bolsonaro

"Temos que derrubar Bolsonaro para salvar vidas", disse André Constantine, líder do Movimento Nacional das Favelas e Periferias

O Movimento Nacional das Favelas e Periferias apresentou nesta terça-feira (6) um novo pedido de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro. A ação é a 108ª a pedir o impedimento do mandatário. A peça, que aborda o desmonte de políticas públicas que atingem a população de favelas e periferias, foi produzida com apoio da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD).

A entrega do pedido na Câmara foi feita em um ato em que participaram o líder do movimento, André Constantine, a coordenadora executiva da ABJD, Tânia Oliveira, além da presidenta nacional do PT, deputada Gleisi Hoffmann (PT-PR), do líder da Minoria, Marcelo Freixo (PSOL-RJ) e dos líderes de PT e PSOL na Câmara, Bohn Gass (PT-RS) e Talíria Petrone (PSOL-RJ).

“No cenário de pandemia de um vírus letal, as ações de um governante que se recusa a oferecer condições para o enfrentamento do problema, ao contrário, age para estimular a proliferação, termina por se configurar um mal tão grande quanto a própria doença”, diz trecho da peça.

O documento Os cidadãos e cidadãs das favelas e periferias que apresentam o pedido denunciam Jair Bolsonaro por seus delitos porque acreditam que somente o seu afastamento e a responsabilização jurídico-política de todos os representantes de seu governo, que levam adiante as políticas destrutivas representadas pelo seu projeto político, são capazes de recolocar o país nos trilhos da observância e do predomínio da Constituição da República”, destacam os autores do pedido.

“As favelas estão aqui protocolando esse impeachment porque entendemos que precisamos triar esse vírus que alimenta a pandemia, que se chama Jair Bolsonaro. Bolsonaro tem que cair. O povo brasileiro não suporta mais. Estamos aqui atuando na via institucional, mas também estamos nas ruas. Temos que derrubar Bolsonaro para salvar vidas”, disse André Constantine ao Favela Não se Cala. Constantine chegou a ser detido no início de março enquanto discursava contra Bolsonaro e a Polícia Militar do Rio de Janeiro.

“Essa peça é importante porque atinge um segmento que ainda não havia se manifestado aqui na Câmara”, destacou Oliveira, que participou da elaboração de outros pedidos.

Gleisi Hoffmann usou as redes para comentar sobre o novo pedido. “Mais um pedido de impeachment foi protocolado hj! Quem apresentou foi o Movimento Nacional das Favelas e Periferias, representando parte da população mais duramente atingida pela pandemia e pela gestão criminosa de Bolsonaro, a encarnação da crise!”, tuitou.

Na última semana, diversos pedidos de impeachment foram apresentados por movimentos sociais.

Publicidade

Assista:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global