Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
16 de abril de 2019, 11h13

Na CCJ, PT apresenta voto em separado questionando pontos “não previdenciários” da reforma

Texto coloca em risco até acesso a medicamentos por meio de decisões judiciais; estratégia tenta votar "relatório alternativo" ao do PSL

Na CCJ, deputados petistas protocolaram voto em separado ao relatório de parlamentar do PSL - Foto: Vinicius Lousada

Antes do início da reunião de debates sobre a reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), nesta terça-feira (16), a bancada do PT da Câmara apresentou voto em separado, contrário ao relatório do deputado delegado Marcelo Freitas (PSL-MG), que considera constitucional a PEC de Jair Bolsonaro (PSL).

No documento dos parlamentares petistas, além da exposição de diversos pontos que ferem o princípio do não retrocesso social, foram elencadas preliminares, observando mudanças trazidas pelo texto que não versam sobre matérias previdenciárias.

“Eles tentam impedir a judicialização de políticas públicas (dificultando, inclusive, o acesso a medicamentos); mudam a idade de permanência no Judiciário de 75 para 70 anos, porque querem nomear juízes; mexem no FGTS e na organização da Judiciário, impedindo que a Justiça Estadual analise causas previdenciárias”, explica o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), membro titular da CCJ.

Na segunda-feira (16), a oposição e o Centrão impuseram derrota ao governo, transferindo para a próxima semana a previsão de votação do relatório de Marcelo Freitas para a PEC da reforma.

“Aqui muda como o tempo. Uma hora o céu está sem nuvens e, de repente, chove. Até semana que vem há como costurar um acordo para a aprovação de um relatório alternativo” acredita Teixeira.

Antes do PT, o PSOL já havia anunciado a apresentação de voto em separado.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum