Na CPI, Rogério Carvalho diz que fé pública em Bolsonaro levou a mortes e pede “prisão perpétua”

"É preciso responsabilizar essas pessoas", cobrou o senador do PT

O senador Rogério Carvalho (PT-SE) criticou duramente o governo Jair Bolsonaro durante sessão da CPI do Genocídio nesta sexta-feira (11). A comissão recebeu a microbiologista Natalia Pasternak e o sanitarista Claudio Maierovitch em audiência.

Notícias relacionadas

“Tem uma coisa que é a fé pública. Se a pessoa virou presidente, ele tem, no mínimo, uma credibilidade. Se ele fala, aquela declaração tem um grau de fé pública e isso está sendo usado para levar as pessoas à morte deliberadamente”, afirmou o senador.

“O que foi feito em Manaus foi um experimento com seres humanos, Dra. Nathalia. É de uma gravidade… Se for apurado com lupa é para dar prisão perpétua. Expuseram uma cidade inteira a um tratamento, a uma medida de controle sanitária ineficaz para testar, isso enquanto as pessoas morriam sufocadas por falta de oxigênio. É muito grave. Gravíssimo. É insuportavelmente repugnante”, prosseguiu.

Para Carvalho, as investigações que estão sendo realizadas na comissão e estudos como o do epidemiologista Pedro Hallal mostram que “o crime de extermínio está se configurando”. “É preciso responsabilizar essas pessoas”, cobrou.

Na comissão, os dois cientistas criticaram as medidas adotadas pelo governo durante a pandemia. “Todo cientista brasileiro quando percebe que a ciência está sendo distorcida para promover curas milagrosas e está sendo ignorada para o que ela pretende no controle da pandemia, nas medidas que são aprovadas pela ciência. Então, é obrigação do cientista se manifestar, porque é o cientista que tem que esclarecer essas questões para a população e os gestores”, afirmou Pasternak em uma de suas falas.

ASSISTA:

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR