#Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de outubro de 2019, 22h14

“Não é verdade”, diz Haddad ao ser questionado sobre “falta de autocrítica” do PT

"Ciro fez uma leitura equivocada sobre o que representava o Lula e o PT", disparou ainda o petista durante entrevista à GloboNews

Foto: Reprodução/GloboNews

O ex-ministro Fernando Haddad, candidato à presidência pelo PT nas eleições de 2018, deu entrevista ao programa Em Foco com Andreia Sadi, da GloboNews. Na conversa, exibida nesta quarta-feira (2), Haddad comentou sobre a suposta falta de autocrítica do PT, o papel da oposição no governo Bolsonaro, as eleições 2022, o ex-ministro Ciro Gomes e sobre um possível impeachment de Jair Bolsonaro.

“Não é verdade. Toda vez que eu sou perguntado eu critico política, economia…”, disparou Haddad ao ser questionado sobre uma suposta falta de autocrítica do PT. O ex-ministro ainda disse que o papel da oposição é denunciar o que está acontecendo no Estado e oferecer alternativa, mas que tem sido ofuscado pela atenção dada às polêmicas de Bolsonaro.

Haddad ainda afirmou que “não existe possibilidade” de sair do PT e disse que ele sempre será um partido de base. “O PT nunca vai ser um partido de gabinete. O PT é um partido de base. Veja a dificuldade que outras partidos tem de ir além do PT”, declarou o ex-ministro da Educação.

Sobre as eleições de 2018 e a construção de uma chapa com Ciro, o ex-ministro criticou as declarações do pedetista sobre o PT e Lula. “Ciro fez uma leitura equivocada sobre o que representava o Lula e o PT. Não soube abordar para liderar o bloco”, declarou. Haddad ainda refirmou que fez o gesto de buscar Ciro para construir uma aliança, mas foi recusado.

O ex-prefeito de São Paulo ainda discordou que Lula ofusque outras lideranças. “O PT tem pelo menos três governadores que poderiam ser presidentes da República, que é o Camilo, o Rui e o Wellington, temos um ex-governador que foi cogitado eme 2018, que foi o Jaques Wagner”, afirmou. “Um Lula aparece a cada 50 anos. Ele é mais visitado do que qualquer brasileiro”, disse ainda.

“Pra mim, impeachment é só com crime de responsabilidade bem caracterizado, por isso eu fui contra o da Dilma. Se ele cometer algum crime, ele sai. Para o bem e para o mal, é assim que o nosso sistema presidencialista funciona”, declarou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum