Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de maio de 2018, 15h31

Nega Gizza e Anderson Quack lançam pré-candidaturas pelo PSOL com campanha coletiva

Lançamento do Movimento Mandato Colaborativo Real (MMacor) será no próximo dia 8 de maio, no Rio de Janeiro; ideia consiste em reunir em uma plataforma um grupo acima de 2 mil pessoas que irá fazer a campanha dos seus representantes

Foto: Divulgação/MMacor

Um grupo de ativistas de vários setores da sociedade, inconformados com a falta de representatividade na política, decidiu criar uma forma coletiva de fazer política, a fim de dar mais participação à população neste campo. Com isso, este grupo vai lançar o Movimento Mandato Colaborativo Real (MMacor) no próximo dia 8 de maio, terça feira. A primeira ação desse movimento será nas pré-campanhas a deputados pelo Rio de Janeiro da rapper Nega Gizza (estadual pelo Rio de Janeiro) e do cineasta Anderson Quack (federal) pelo PSOL. As pré-candidaturas de ambos serão lançadas no mesmo dia, à Rua Alcina, 107, em Madureira, a partir das 18 horas.

“Uma das razões que me fez escolher o PSOL foi quando em reuniões com Marcelo Freixo, Marielle Franco e Tarcísio Motta fui convencida que eles desejam ver as pessoas decidindo os seus próprios destinos. Eu acredito nisso”, disse Nega Gizza. O MMacor consiste em reunir em uma plataforma um grupo acima de 2 mil pessoas que irá fazer a campanha dos seus representantes. Serão colaboradores da pré-campanha de Gizza e Quack.

Todas as decisões e ações, que Gizza, Quack e os futuros representantes do MMacor forem tomar nas câmaras e assembleias legislativas, serão previamente discutidas e votadas pelos coparlamentares em uma plataforma desenvolvida para esse fim, e os representantes vão ter que respeitar o voto da maioria, defendendo as pautas escolhidas por ela, e combatendo as que tiverem sido reprovadas pelo coletivo.

“Muita gente não se lembra em quem votou nas últimas eleições, porque optou por um candidato que prometeu defender as suas ideias, e depois as esqueceu”, falou Celso Athayde. “A grande sacada do MMacor é que o colaborador terá a oportunidade de ele próprio criar propostas e pautas, e levando-as ao parlamento através dos seus representantes durante todo o mandato, sem precisar pedir favor. Caso eleitos, Quack e Gizza não decidirão as pautas individualmente. Podemos ter certeza que todas as decisões, que eles levarem aos parlamentos, terão sido previamente discutidas e votadas pelos coparlamentares. Logo todos estes colaboradores que representarão todos os eleitores iniciais são pré-candidatos a deputados também”, explicou um dos idealizadores do projeto.

Nega Gizza é carioca, rapper e ativista social. Ela é uma das fundadoras da Central Única das Favelas (CUFA), ao lado de Celso Athayde, MV Bill e do próprio Quack, de onde todos estão desligados. No último dia 3 de abril, ela realizou a filiação democrática ao PSOL, por onde pretende concorrer nas eleições de 2018.

Anderson Quack também é carioca, nasceu e foi criado na Cidade de Deus e é cineasta. Dentre os seus trabalhos de destaque estão a produção executiva do documentário “Falcão – Meninos do Tráfico” e a direção de “Remoção”. Quack também foi presidente da CUFA e visa concorrer às eleições pelo PSOL, tendo assinado a filiação democrática no mesmo dia que Gizza.

“Essa ideia é espetacular. Sempre falei que se um dia eu entrasse para a política, seria para fazer diferente, e nada mais diferente do que os eleitores decidirem nos quatro anos as ações do mandato. Afinal está na Constituição Brasileira que ‘todo o poder emana do povo’.  Com o movimento MMacor começa uma nova chance de mudança no campo da representatividade”, disse Quack.

“É importante dizer que o MMacor não pertence a nenhum partido político. É um movimento independente que aposta e apostará em candidatos com credibilidade. Além de Quack e da Gizza no Rio, temos a pré-candidatura de Preto Zezé, pelo Ceará, a deputado estadual, pelo PCdoB”, explicou Athayde.

O movimento, que será lançado no próximo dia 8 de maio, tem apoio de muitos colaboradores, entre eles artistas e músicos. “O que posso dizer é que vou apostar nesse movimento porque conheço o Quack desde criança e porque confio na Gizza. Acredito que esse movimento será a grande revolução na política brasileira. Não queremos mais saber o que os políticos dizem que defendem, queremos saber quais políticos estão dispostos a defender o que pensamos”, disse o rapper Mv Bill.

“O MMacor é tudo que os eleitores sonham. Ter a decisão real sobre o mandato que a eles pertence. Hoje existe um divórcio entre o representado e o representante. O MMacor tem o propósito de fazer essa reconciliação. Mas para isso é preciso escolher pessoas que não vão trair os princípios da iniciativa. Na Nega Gizza e no Anderson Quack eu confio, e não teria nomes melhores para esse início”, falou o sambista Dudu Nobre.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum