Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
04 de abril de 2019, 12h15

No Ministério da Educação, mais um olavista é demitido e outro militar nomeado

Além de Bruno Garschagen, foi demitida a chefe de de gabinete do ministro, Josie de Jesus. No lugar dela, assume Marcos de Araújo, que já foi subcomandante geral da Polícia Militar do Distrito Federal e professor da Academia dos Bombeiros de Brasília

Coronel Marcos Araújo, que assume a chefia de gabinete do MEC, ao lado de Bolsonaro (Reprodução/Facebook)

O desmonte do braço olavista do Ministério da Educação segue na mesma medida que os militares ocupam espaços vazios na pasta. O Diário Oficial da União desta quinta-feira (4) trouxe a exoneração de Bruno Garschagen, assessor especial do ministro Ricardo Vélez-Rodriguez, ligado ao astrólogo Olavo de Carvalho.

Leia também: Vélez diz que não houve ditadura no Brasil e quer recontar história nos livros didáticos

De acordo com o Blog Renata Cafardo, do “Estado de São Paulo”, Garschagen foi um dos assessores que participaram da decisão de enviar às escolas de todo o país uma carta do ministro com o slogan usado na campanha de Jair Bolsonaro à presidência, incluindo o pedido para que as crianças fossem filmadas cantando o Hino Nacional.

Além de Garschagen, foi demitida a chefe de de gabinete do ministro, Josie de Jesus. No lugar dela, assume Marcos de Araújo, que já foi subcomandante geral da Polícia Militar do Distrito Federal e professor da Academia dos Bombeiros de Brasília. Josie não ficou nem um mês no cargo: havia assumido em 11 de março.

As mudanças balançam ainda mais o ministro Vélez-Rodriguez, que sofre um processo de fritura por Jair Bolsonaro (PSL).

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum