Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de abril de 2019, 12h07

No Rio, Witzel reintegra policiais que foram presos acusados de envolvimento com milícia

Os irmãos Christiano Gaspar Fernandes e Giovanni Gaspar Fernandes foram denunciados à Justiça pelos crimes de formação de quadrilha e peculato, sob a acusação de venderem armas apreendidas

O governador do Rio, Wilson Witzel, e o senador Flávio Bolsonaro, que tem ligação com as miícias (Foto: Divulgação)

Coluna do jornalista Ancelmo Gois, na edição deste sábado (6) do jornal O Globo, revela que  o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel autorizou a reintegração de dois inspetores de polícia acusados de ligação com milícias. Eles foram presos em 2011 na Operação Guilhotina, da Polícia Federal em conjunto com a extinta Secretaria de Segurança e o Ministério Público estadual.

Os irmãos Christiano Gaspar Fernandes e Giovanni Gaspar Fernandes foram denunciados à Justiça pelos crimes de formação de quadrilha e peculato, sob a acusação de venderem armas apreendidas. Ambos foram condenados em primeira instância. Em março passado, porém, a 2ª instância do Tribunal de Justiça do Rio absolveu os inspetores. O caso corre em segredo de justiça.

A demissão dos agentes, assinada pelo ex-secretário de Segurança José Mariano Beltrame, foi publicada no Diário Oficial em 13 de setembro de 2016. Em julho de 2018, o governador Luiz Fernando Pezão revisou o posicionamento de Beltrame e sustou a demissão.

O decreto de Witzel cita o acórdão da ação em 2ª instância que analisou o caso dos inspetores. De acordo com o andamento, o acórdão foi publicado em 14 de março, mas segue em segredo de justiça. A reintegração de Witzel ocorreu duas semanas depois. A decisão foi da 7ª Câmara Criminal e teve como relator do caso o desembargador Sidney Rosa da Silva.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum