O Antagonista teria comprado informações obtidas pelos “hackers de Araraquara”

Página defensora da operação Lava Jato foi citada no depoimento de um dos presos pela Polícia Federal; antes, o site acusava o The Intercept Brasil de ter pago pelo material divulgado na série Vaza Jato

Desde que surgiram os primeiros diálogos nas matérias da série Vaza Jato, do The Intercept Brasil, que o site O Antagonista duvida das informações publicadas e acusa os jornalistas de terem cometido crime para obter os arquivos com as conversas.

Agora, a página de direita está sofrendo o revés e sendo acusada daquilo que dizia que o The Intercept fazia. Luiz Henrique Molição, um dos presos na Operação Spoofing, afirmou em depoimento à Polícia Federal que Walter Delgatti Neto, o Vermelho, teria vendido informações para o site O Antagonista sobre uma matéria envolvendo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Leandro Demori, editor do The Intercept, comentou o caso em suas redes sociais. “O Antagonista e a revista Crusoé publicaram todos os vazamentos desse inquérito, empacotando a trama como se nós fossemos criminosos, sem jamais duvidar da palavra dos presos. Sabe o que os presos estão dizendo agora? Que eles VENDERAM material pra ANTAGONISTA e CRUSOÉ. Tic tac”.

Demori também lembrou que o site de direita sempre tentou descredibilizar o trabalho feito por sua equipe, mas agora se vê em uma situação embaraçosa. “Sim, vocês leram certo: O Antagonista, que estava louco pra ouvir de algum dos presos que eles teriam vendido as mensagens pro Intercept, não só jamais conseguiram isso como agora estão sendo acusados PELOS MESMOS PRESOS de COMPRAR INFORMAÇÕES DELES PRÓPRIOS. Estou rindo, confesso. Ainda bem que O Antagonista não tem credibilidade, se não ela estaria em risco”.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR