terça-feira, 29 set 2020
Publicidade

“O Partido da Lava Jato é uma realidade orquestrada ao arrepio da lei”, afirma deputado

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) comentou as novas revelações da Vaza Jato, publicadas nesta terça-feira (3), em que se comprova que o procurador Deltan Dallagnol cogitou concorrer ao Senado pelo estado do Paraná nas eleições de 2018, além de deixar em aberto a possibilidade para 2022.

“A cada revelação mais confirmações do conluio. O ‘Partido da Lava Jato’ foi e é uma realidade orquestrada ao arrepio da lei e das missões institucionais do Judiciário e do Ministério Público”, afirmou o congressista.

A nova reportagem publicada no The Intercept Brasil mostra que Dallagnol usava o aplicativo Telegram também como uma espécie de diário, enviado mensagens para si mesmo. Em tom messiânico, o procurador chegou a afirmar que “seria facilmente eleito”, além de se comparar a Jesus Cristo. “Tenho apenas 37 anos. A terceira tentação de Jesus no deserto foi um atalho para o reinado. Apesar de em 2022 ter renovação de só 1 vaga e de ser Álvaro Dias, se for para ser, será”, escreveu.

Márcio Jerry, por sua vez, criticou a postura do coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato. “Dallagnol é, sob todos os aspectos, um sujeito muito desonesto, falso, mentiroso, inescrupuloso”, disse.

George Marques
George Marques
Jornalista e Relações Públicas pela Faculdade JK de Brasília. É também especialista em comunicação pública e comunicação política no legislativo, tendo já sido indicado ao Prêmio Comunique-se de Jornalismo Político. Já trabalhou na cobertura de política para o site The Intercept Brasil e Metrópoles. É colunista da Fórum.