Fórumcast #20
30 de maio de 2019, 22h26

Obama abraça reivindicação dos brasileiros e defende investimentos em educação

Ex-presidente norte-americano palestrou em São Paulo em meio aos protestos contra os cortes na educação e disparou: "Dar educação e serviços sociais não é caridade, é uma ferramenta de desenvolvimento econômico”

O presidente norte-americano, Barack Obama (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

O ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, apesar de não ter mencionado as manifestações que aconteceram em todo o Brasil nesta quinta-feira (30), parece ter ouvido o clamor das ruas contra os cortes nos recursos da educação que vêm sendo promovidos pelo governo de Jair Bolsonaro.

Durante palestra em um evento de inovação tecnológica em São Paulo, Obama relacionou diretamente o desenvolvimento econômico com os investimentos na área que vem sendo sucateada pelo atual governo brasileiro.  Para ele, a “a chave do sucesso é a educação”.  “Dar educação e serviços sociais não é caridade, é uma ferramenta de desenvolvimento econômico”, afirmou.

Para uma plateia de 10 mil pessoas, que desembolsaram mais de R$2 mil para vê-lo, o ex-presidente dos Estados Unidos foi enfático com relação ao tema que foi a pauta dos protestos desta quinta-feira.

“Se você um país que não tem este tipo de investimento nas pessoas [em educação], ele provavelmente não será bem-sucedido”, disse.

E ainda prosseguiu. “Algumas vezes, particularmente na América Latina, onde existem profundas divisões políticas entre esquerda e direita, tudo é muito ideológico, vejo que as pessoas não acreditam no governo e no mercado. Não existe um mercado funcional sem um bom governo. E, se você não tem um bom sistema educacional, não tem um bom mercado. Sem isso tudo, não há um bom governo”.

Veja também:  O preço do fascismo para a política ambiental brasileira, por Marcos Danhoni

 


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum