Fórumcast, o podcast da Fórum
22 de agosto de 2019, 13h01

Operação da PF contra fraudes em contratos no Porto de Santos prende ex-deputado do PRB

Segundo a PF, o ex-parlamentar embolsou R$ 1,6 milhão entre propinas e empréstimos concedidos por empresas envolvidas nas fraudes

Foto: Porto de Santos

A Polícia Federal realizou nesta quinta-feira (22) a segunda fase da Operação Trintão, a fim de cumprir 21 mandados de prisão e 24 de busca e apreensão contra fraudes em licitações e contratos públicos na Companhia Docas (Codesp), administradora do Porto de Santos. Entre os alvos da operação está o ex-deputado federal Marcelo Squassoni (PRB-SP), que se apresentou à sede da PF nesta manhã, em São Paulo.

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o ex-parlamentar embolsou R$ 1,6 milhão entre propinas e empréstimos concedidos por empresas envolvidas. Além de Squassoni e de ex-integrantes da Codesp, os mandados atingem empresários e as sedes das companhias beneficiadas. A operação se espalha por seis cidades de São Paulo, uma do Rio de Janeiro e uma do Ceará.

O Facebook silenciou a Fórum. Censura? Clique aqui e nos ajude a lutar contra isso

De acordo com a Polícia Federal, os prejuízos causados à Companhia Docas superam R$ 100 milhões. Os investigados devem responder pelos crimes de organização criminosa, associação criminosa, fraude a licitações e corrupção ativa e passiva.

“Com base em elementos de prova obtidos quando da deflagração da Operação Tritão, depoimentos prestados em sede de colaboração premiada e diante de informações fornecidas por membros da atual diretoria da Codesp, a Polícia Federal conseguiu comprovar as fraudes inicialmente investigadas, além de outras que permaneceram sendo executadas mesmo após a prisão de alguns membros da organização criminosa”, informou a PF.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum