Fórumcast, o podcast da Fórum
21 de agosto de 2019, 21h47

Oposição derrota Bolsonaro e retira trabalho aos domingos de MP

Trecho que liberava o trabalho aos domingos e feriados, com folga determinada pelo patrão em outro dia da semana, foi suprimido da MP da Liberdade Econômica após pressão da oposição no Senado

Humberto Costa e senadores da oposição comemoram supressão de trabalho aos domingos em MP | Reprodução/Twitter

A oposição conseguiu articular nesta quarta-feira (21), no Senado, a retirada de novas regras sobre trabalho aos domingos da Medida Provisória 881/2019, a MP da Liberdade Econômica. O texto aprovado na Câmara dos Deputados com chancela do Planalto autorizava todas as categorias profissionais a trabalharem aos domingos e feriados quando fosse solicitado pelo patrão.

Por pressão da oposição e de senadores que não queriam se comprometer com o trecho que liberava o trabalho aos domingos, com folga determinada pelo patrão em outro dia da semana, sem pagamento de adicional de 100% da hora trabalhada, foi acordada a supressão dessas novas regras no texto aprovado no Senado Federal.

O senador Humberto Costa (PT-PE) comemorou a mudança, mas destacou que “muita coisa ruim” foi aprovada. “Acabamos de retirar, aqui no plenário do Senado, o dispositivo tacanho inserido na chamada MP da Liberdade Econômica que previa trabalho aos domingos e feriados, com uma folga sobre quatro domingos. Muita coisa ruim, no entanto, passou pela vontade de Jair Bolsonaro e sua turma”, tuitou.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também comentou a supressão e disse que o assunto ainda será discutido com mais profundidade em um projeto de lei. “Foi retirado da MP da Liberdade Econômica as regras referentes ao trabalho aos domingos. O assunto vai ser discutido futuramente em um projeto de lei”, publicou.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum