Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
31 de outubro de 2019, 14h47

Oposição se mobiliza para pedir cassação de Eduardo Bolsonaro após defesa de “novo AI-5”

"O Brasil não vai aceitar a ditadura da milícia", declarou a deputada Sâmia Bonfim ao anunciar que o PSOL irá acionar o STF e pedir a cassação de Eduardo Bolsonaro na Câmara por defender a volta do AI-5. PT, PCdoB e PSB também podem se juntar na ação.

Foto: Divulgação

As ameaças feitas pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) de que poderia ser acionado um mecanismo similar ao Ato Institucional nº 5 (AI-5) em caso de radicalização da esquerda pode render a cassação do mandato do filho 03 do presidente. PSOL, PT, PCdoB e PSB devem entrar, ainda nesta quinta-feira (31) com ação conjunta no C0nselho de Ética da Câmara.

Saiba o que foi o AI-5

O deputado Marcelo Freixo (PSOL-RJ) anunciou que partidos de oposição estariam estudando a apresentação de um pedido de cassação conjunto contra Eduardo, além de acionar o STF. “Nós da oposição vamos pedir a cassação de Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética e acionar o STF. A apologia do filho do presidente ao AI-5, que significa o fechamento do Congresso e a perseguição de opositores, é um crime contra a Constituição e as instituições democráticas”, disse nas redes sociais.

O líder da oposição na Câmara, Alessandro Molon, disse em coletiva de imprensa que a oposição irá reagir e que o Parlamento vai responder aos ataques de Eduardo. “Democracia não combina com AI-5 ou qualquer outra medida autoritária. Vamos pedir a cassação do mandato de Eduardo Bolsonaro”, disse.

A decisão teria partido do PSOL, como disse inicialmente a deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP). “O PSOL vai entrar com pedido de cassação do mandato de Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara e também com uma denúncia contra ele no Supremo Tribunal Federal. O Brasil não vai aceitar a ditadura da milícia”, publicou Sâmia.

Diversos parlamentares da oposição repudiaram as declarações de Eduardo. A presidenta nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), disse que o filho do presidente não irá os intimidar. “Em menos de uma semana, Eduardo Bolsonaro volta a defender regime de exceção e ameaça a esquerda. MP/STF precisam tomar providências e não vamos nos intimidar, continuaremos denunciando o desmonte e abusos. A população precisa saber o que vocês estão fazendo”, tuitou.

O deputado Marcelo Calero (Cidadania-RJ) também disse que vai entrar com pedido contra Eduardo. Calero é do movimento Livres, que saiu do PSL após a entrada de Jair Bolsonaro.

Ameaça de Eduardo

“Tudo é culpa do Bolsonaro. Se a esquerda radicalizar a esse ponto, a gente vai precisar ter uma resposta e uma resposta ela pode ser via um novo AI-5”, afirmou Eduardo em entrevista à jornalista Neda Nagle, referindo-se ao Ato Institucional de número 5, instaurado em dezembro de 1968 pela ditadura, que resultou na perda de mandatos de parlamentares e ministros do STF, intervenções em estado, municípios e organizações civis, além da suspensão de garantias constitucionais que resultaram na institucionalização da tortura pelo Estado.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum