Fórumcast, o podcast da Fórum
04 de abril de 2019, 06h00

Padilha cobra do governo Bolsonaro explicações sobre problemas no “Farmácia Popular”

Ex-ministro, o deputado avalia que cortes orçamentários podem estar por trás da dificuldade de acesso a medicamentos em várias regiões do País

O deputado Alexandre Padilha - Foto: Najara Araujo/Câmara dos Deputados

O deputado federal Alexandre Padilha (PT-SP) está questionando o Ministério da Saúde sobre a dificuldade de acesso por pacientes com hipertensão, diabetes e asma e outras doenças crônicas a medicamentos que deveriam ser distribuídos gratuitamente ou com descontos de até 90% pelo programa “Aqui tem Farmácia Popular”.

O parlamentar, que foi ministro da área, avalia que cortes orçamentários podem estar por trás do problema, que tem afetado brasileiros de diversas regiões da área.

O governo Jair Bolsonaro bloqueou quase R$ 30 bilhões em despesas da União programadas para 2019. “Já tivemos um corte significativo com o governo Temer. Os recursos são menores. Sem falar na mudança de regra para o financiamento do SUS, a partir do congelamento de 20, que já impacta em cerca de R$ 9 bilhões para a Saúde este ano. Se fosse mantida a regra anterior, teríamos esse valor a mais”, explica Padilha.

A partir de reclamações de usuários do Farmácia Popular levadas a veículos de comunicação e de diversas reportagens jornalísticas, o deputado petista soube que “a falta de sistema” vem sendo apresentada como justificativa para a não distribuição dos medicamentos nas farmácias credenciadas.

“O problema está acontecendo em várias redes, não em uma isolada”, diz Padilha à Fórum.

Há ainda reclamações de falta de medicamento há cerca de três meses.

Em requerimento direcionado ao Ministério da Saúde, o parlamentar cita relatos de moradores de estados como São Paulo, Mato Grosso do Sul, Ceará, Piauí e Minas Gerais.

Em alguns casos, usuários contam que desistiram de retirar os medicamentos após diversas tentativas frustradas. “O governo não está muito interessado em garantir o acesso”, lamenta Padilha, que busca ainda informações sobre a falta de medicamentos para pacientes transplantados.

Sobre o “Aqui tem Farmácia Popular”, o deputado quer saber, entre outros pontos, quais os problemas de instabilidade no sistema do programa; quais unidades foram afetadas; desde quando o ministério detectou as ocorrências; quais medidas estão sendo tomadas; e os números de atendimentos em janeiro, fevereiro e março deste ano.

Quando questionado por um dos órgãos de comunicação que tratou do assunto, o Ministério da Saúde posicionou-se alegando que os problemas eram pontuais.

Nossa sucursal em Brasília já está em ação. A Fórum é o primeiro veículo a contratar jornalistas a partir de financiamento coletivo. E para continuar o trabalho precisamos do seu apoio. Saiba mais.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum