Vídeo: “Paixão louca”, disse novo ministro da Educação para justificar feminicídio de adolescente

Milton Ribeiro também afirmou que a jovem de 17 anos "pode ter dados sinais que estava apaixonada"

O novo ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse que um homem de 33 anos que matou uma adolescente de 17 anos por querer namorá-la “confundiu paixão com amor”. Ao tentar justificar o feminicídio, Ribeiro disse que paixão “é louca mesmo”.

“Acho que esse homem foi acometido de uma loucura mesmo e confundiu paixão com amor. São coisas totalmente diferentes. Ele, naturalmente movido por paixão, paixão é louca mesmo, ele então entrou, cometeu esse ato louco, marcando a vida dele, marcando a vida de toda família. Triste”, disse.

Pastor evangélico, Ribeiro afirmou ainda que a adolescente “pode ter dados sinais a ele que estava apaixonada ou coisa do tipo”, o que pode ter “chamado” o homem para um relacionamento. Ele diz ainda que tais comportamentos sexuais são aprendidos por crianças vendo televisão.

“Ela pode ter dados sinais a ele que estava apaixonada ou coisa do tipo e que ela aprendeu, está acostumada a passar, e o cara entendeu assim, só que não era nada daquilo. E a criança pode fazer isso. E o cara, o pedófilo está pensando que a criança está querendo alguma coisa com ele, mas o que ela está fazendo é uma replicação daquilo que ela vê de maneira indevida na tevê aberta”, afirmou.

Milton Ribeiro, tem uma coletânea de vídeos na internet no canal Meditando na Sã Doutrina. Em um desses vídeos, intitulado “uma sociedade deteriorada”, ele relaciona “sexo sem limites” com o que é “ensinado nas universidades”.

O novo ministro também já disse que criança “deve sentir dor” para aprender e que iria “engrandecer o nome de Deus”, quando assumiu a Comissão de Ética Pública. Em 2016, Ribeiro fez um sermão atacando o Bolsa Família, a presidente Dilma Rousseff e os educadores, além de criticar o casamento gay.

Confira:

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.