Fórumcast, o podcast da Fórum
19 de setembro de 2019, 18h37

Para Collor, Bolsonaro não tem noção do que está fazendo

Senador ainda criticou a postura da Lava Jato, que vem sendo revelada pelo The Intercept Brasil, e disse que se arrepende dos ataques feitos contra Lula na campanha de 1989

Collor, Mourão e Bolsonaro (Arquivo)

Em entrevista à BBC News, o ex-presidente e atual senador Fernando Collor (PROS-AL) condenou a condução do governo de Jair Bolsonaro. Segundo ele, o presidente atua de forma ideologizada, acirrando os ânimos e contribuindo para o “abismo” na sociedade brasileira. Ele considera que Bolsonaro talvez não saiba o que está fazendo, mas evita criticar a possível nomeação de Eduardo Bolsonaro para a Embaixada do Brasil nos EUA e a indicação de Augusto Aras para a PGR. Ele ainda comenta sobre a Vaza Jato e a eleição de 89.

“Talvez porque ele não tenha noção do que está fazendo. Se ele tiver noção exata do que está fazendo, das consequências em se continuando nessa linha, o que disso pode advir, eu acho que ele mudaria de postura e seu entendimento sobre o momento que o Brasil está vivendo”, declarou o senador ao ser questionado sobre o acirramento, que, segundo Collor, tem sido promovido por Bolsonaro.

Collor ainda considera que “há ausência de um projeto de país” no governo Bolsonaro, defende seu mandato e não gosta de ser comparado com o atual presidente. “Eu sei que, para mim, tudo isso é inédito. Tudo que eu fiz era inédito. Se alguém está copiando, é ele. Então, se há semelhanças, é ele que está buscando essas semelhanças, é ele que está gerando essas semelhanças. Não eu”, declarou.

Ele evita, no entanto, fazer críticas às indicações de Aras e Eduardo Bolsonaro. “A decisão do presidente da República constitucionalmente cabe a ele, de indicar quem lhe aprouver para a posição. Mas acho que é uma decisão que deveria ter sido pensada com mais cuidado, porque as credenciais de ser uma pessoa que transita bem na órbita familiar do presidente norte-americano (Donald Trump) talvez não sejam suficientes para a posição de embaixador”, disse o ex-presidente sobre o aspirante a embaixador, evitando revelar se votará contra ou a favor.

Sobre Aras, Collor avalia que “ele escolher fora da lista tríplice está perfeitamente de acordo com o que diz a Constituição. A lista tríplice foi uma criação do governo Lula, atendendo ao corporativismo do Ministério Público, que é muito forte”. “Eu não acredito que tenha chegado a ocorrer em uma conversa entre os dois. Pelo menos isso não passa pela minha cabeça, uma conversa como essa. O Ministério Público é independente, isso está na Constituição”, completa.

Vaza Jato e Lula

O senador ainda criticou a Lava Jato em face das reportagens da Vaza Jato. Segundo ele, “esses diálogos que o The Intercept está colocando à luz do dia são conversas absolutamente não republicanas e reprováveis, no momento em que um juiz combina com uma das partes”.

Collor ainda disse que se arrepende dos ataques feitos contra Lula durante a campanha de 1989 e afirma ter votado no ex-presidente nas duas oportunidades em que ele disputou contra Fernando Henrique Cardoso. “Eu não via em Fernando Henrique, e isso pesa muito para mim na avaliação, que é uma consciência social, uma preocupação social. E isso eu percebia que o Lula tinha e tem”, disse.

Confira a íntegra da entrevista de Collor na BBC News Brasil.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum