#Fórumcast, o podcast da Fórum
17 de agosto de 2018, 13h37

Para Pedro Serrano, desobediência à ONU deixará claro ao mundo que Lula é perseguido político

O jurista lembrou ainda, com exclusividade à Fórum, que, se desobedecida a decisão da ONU de permitir a candidatura de Lula, “será a primeira vez que o Estado Brasileiro, por ato praticado no interior da democracia, é condenado”

O jurista Pedro Serrano. Foto: Divulgação

Para o jurista Pedro Serrano, a decisão da Comissão de Direitos Humanos da ONU estabelecendo o direito do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de ser candidato é uma vitória de sua defesa, mas, acima de tudo, uma vitória dos Direitos Humanos, dos Direitos Fundamentais e da nossa própria Constituição, que garante estes direitos que não vem sendo efetivados pelo Sistema de Justiça no Brasil.

Pedro Serrano, que é advogado, professor de Direito Constitucional da PUC-SP, mestre e doutor em Direito do Estado pela PUC/SP com pós-doutorado pela Universidade de Lisboa, acredita que o Brasil não vai cumprir a medida determinada pela ONU, pois, de acordo com ele, uma parte do Sistema de Justiça Brasileiro tem agido contra os Direitos Humanos e ele mesmo tem feito denúncias neste sentido constantemente. “E, se for desobedecido, será a primeira vez que o Estado Brasileiro, por ato praticado no interior da democracia, é condenado”, lembrou.

“Mas aí, com a desobediência, fica claro para a comunidade internacional que o Lula está sendo vítima de uma perseguição política e não de uma decisão jurídica. Há uma grande força moral e política nessa decisão. A desobediência será um atestado de que o Estado brasileiro, através do seu Sistema de Justiça, está perseguindo politicamente o Lula. Se o Sistema Brasileiro de Justiça quer mostrar ao mundo que é um cumpridor dos Direitos Humanos, ele tem que obedecer esta decisão. E ai, Lula é candidato. E, se for eleito, sai da cadeia porque, de acordo com a nossa Constituição, um presidente não pode ser processado por crimes anteriores ao seu mandato.”, exaltou.

Para o jurista, esta medida garante não só os direitos políticos de Lula, mas também a sua livre expressão do pensamento, que ele não perde pelo fato de ser presidiário. “A pessoa perde o direito de liberdade, mas não o de expressão. Você vê que Fernandinho Beira Mar deu várias declarações à imprensa, o Maníaco do Parque, temos vários documentários sobre presídios no Brasil com depoimentos de presos. É muito comum você ter declarações de presos quando há interesse público e Lula é um caso evidente, pois ele é um ex-presidente, condenado provisoriamente em um processo muito polêmico. Temos que ouvir o ponto de vista dele”, disse.

Condenação em Segunda Instância

Serrano lembra ainda que a ONU reconheceu também o direito de Lula ser candidato enquanto não houver uma decisão justa e última. “Tem que haver uma decisão final, depois de todos os recursos, que determinem que ele não possa ser candidato, que é o que diz a Constituição brasileira”, alertou.

De acordo com o jurista Lula pode fazer campanha de dentro da cela, ser filmado, aparecer na TV, dar entrevistas. “A decisão da ONU é explícita em relação a tudo isso, inclusive de dialogar com dirigentes partidários, ou seja, uma quase plenitude de seus direitos políticos”.

Ele lembra, no entanto, que a decisão da ONU, não tem plena coercibilidade, ou seja, não pode ser usado da violência para que ela se imponha. “Se o Estado brasileiro desobedecer não vai haver uma invasão aqui, mas há outros tipos de sanções, como a pecuniária e econômica. Por isso que muitos falam que ela seria uma decisão sem eficácia e obrigatoriedade. Mas ela é sim, obrigatória. O direito brasileiro diz que ela é, pois, o Brasil é subescritor da Declaração Universal dos Direitos Humanos, dos tratados internacionais que estabelecem regras eleitorais”, lembrou.

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum