Fórumcast, o podcast da Fórum
19 de julho de 2019, 06h00

Para Wellington Dias, Lula só sai da cadeia com mobilização na rua, e não na internet

Em conversa com jornalistas da mídia independente, governador do Piauí disse que tem poucas esperanças no judiciário e insistiu que Lula só será solto com uma grande mobilização popular

O governador Wellington Dias (Foto: Elineudo Meira)

Eleito o terceiro melhor governador do Brasil pelo Congresso em Foco, atrás apenas de Flávio Dino (PCdoB) e de Rui Costa (PT), o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), aposta na mobilização popular para tirar Lula da prisão. Um dos políticos mais populares do Nordeste e em seu quarto mandato como chefe do Executivo piauiense, Dias conversou nesta quinta-feira (18) com jornalistas independentes no Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé, em São Paulo.

“Vamos ter que parar de acreditar que vamos resolver tudo no celular, nas redes. Tem que ser olho no olho”, disse o petista antes de falar, especificamente, da prisão de Lula.

“É preciso termos uma inspiração que nos ensina lula: há a necessidade de apostar na democracia. Se não tivermos capacidade de grande mobilizações, em torno das principais causas, dificilmente a gente tira o presidente Lula da prisão. Não creio nesse caminho (judiciário). Só se tiver capacidade de mobilização. Tivemos eleição direta, liberdade de imprensa, fim da ditadura, tudo isso conquistamos com mobilização. Mas mobilização de rua, não pela internet. Esse é o desafio”, pontuou.

Veja também:  Em novo vazamento, Dallagnol propõe monumento arquitetônico à Lava Jato e Moro diz que é "soberba"

O governador do Piauí ponderou, contudo, que a bandeira “Lula Livre” deve estar atrelada a pautas concretas que afetam diretamente o dia a dia da população. “É muito importante a campanha Lula livre, mas o povo vai entender ainda mais a campanha Lula livre se for casada com a pauta do povo. Temos que visitar o município que tinha médico e não tem mais, temos que começar a visitar projetos parados do Minha Casa Minha Vida, retomar a transnordestina que está paralisada. Aí vai fazer sentido a bandeira ‘Lula livre’. Estou citando algumas coisas para compreender que isso que ajuda a trazer mais gente para o nosso campo. E precisamos disso”, analisou.

“E se esse campo político não trouxer esperanças para o povo, certamente outros vão ocupar esse espaço”, completou.

Autocrítica 

Durante a conversa, Wellington Dias fez ainda a tão cobrada autocrítica do PT, principalmente em relação à política econômica encampada pelo segundo governo Dilma Rousseff, que apoiou enquanto senador governista à época.

“Eu era líder do bloco de apoio ao governo Dilma no Senado quando cometemos erros graves. Chamar Joaquim Levy  para o Ministério da Fazenda fez com que nos transmitíssemos um sinal errado. E na prática houve uma mudança profunda ali. Política de corte, recessão. Eu faço essa autocrítica. A própria Dilma reconhece, Lula reconhece”, disse.

Veja também:  Pivô brasileiro na NBA, Nenê Hilário ataca Maria do Rosário com fake news sobre sequestro

A autocrítica do governador petista veio pouco antes de comentar a política econômica do governo Bolsonaro. Para o governador, com a cartilha que vem sendo adotada por Paulo Guedes será impossível o Brasil voltar a crescer.

“Se o país precisa crescer, não tem segredo: se tenho movimento de recessão, o papel do poder publico é fazer o movimento anticíclico. No período das vacas magras é o poder público que tem que reagir”, sugeriu.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum