Parlamentares da oposição condenam posição de Bolsonaro pró-EUA em conflito contra o Irã

Partidos de oposição criticaram a submissão de Jair Bolsonaro ao presidente dos EUA, Donald Trump

Nesta segunda-feira (6), as bancadas do PT e do PCdoB na Câmara dos Deputados lançaram notas criticando a posição do governo de Jair Bolsonaro diante da escalada de conflitos entre os Estados Unidos e o Irã. A posição tomada pelo Itamaraty foi a de defender o “combate ao terrorismo”, sem comentar diretamente sobre o assassinato do general Qassem Soleimani por parte dos EUA.

“Repudiamos a posição precipitada e submissa do governo brasileiro, que age como vassalo dos Estados Unidos ao apoiar a infame operação e instigar a escalada de guerra. Enquanto chefes de Estado e dirigentes do sistema ONU expressam preocupação com a paz e fazem apelos nesse sentido, o Brasil despeja gasolina na fogueira acesa por Washington”, diz trecho da nota publicada pelo PT.

O partido ainda considera que “a ação criminosa do governo Donald Trump […] viola todas as normas do Direito internacional, agrava os litígios no Oriente Médio e desestabiliza ainda mais esta região, que vive há décadas sob tensão permanente em razão de disputas geopolíticas e de conflitos pelo controle dos recursos naturais dos seus países”.

Já o PCdoB publicou uma nota em sua página no Facebook rechaçando a ação de Trump e a posição do Itamaraty. “É inadmissível que o governo Bolsonaro envolva o Brasil nesta aventura gravíssima ou nesta política de militarização regional, distorcendo e manchando nossa história diplomática de promoção e defesa do direito internacional, de respeito à soberania das nações e à solução pacífica de controvérsias”, afirma.

“O Brasil é um país amigo das nações árabes e da nação iraniana e não tem vocação para promover a guerra”, diz ainda o PCdoB.

O líder da bancada do PDT, André Figueiredo, também criticou a postura do governo Bolsonaro. “Apesar de não ser surpresa esta posição de Bolsonaro, ao abandonar a neutralidade nesta ação mutua de terror, faz o país certamente perder um parceiro comercial que consome 1/3 de todo milho que é produzido aqui e que no total importa US$2 bilhões/ano”, tuitou.

Ivan Valente, líder do PSOL na Câmara, também usou as redes para comentar o caso. “O ataque dos EUA contra o gen. Soleimani é uma aberração internacional. É nefasto como um governo agride outra nação sem o menor constrangimento, matando vários inocentes. Impor vontades políticas via violência é terrorismo. Trump faz mal ao mundo em nome de seu projeto de poder”, declarou.

https://www.facebook.com/pcdob65/posts/2927850257225164?__tn__=K-R

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.