Fórum Educação
23 de agosto de 2018, 20h24

Partido espanhol Podemos divulga manifesto e denuncia perseguição a Lula

Segundo um dos principais partidos progressistas da Europa, a condução do processo contra o ex-presidente “não é a luta legítima e essencial dos poderes públicos contra a corrupção, mas sim a prevenção da candidatura à presidência de Lula”

Foto: Ricardo Stuckert

Com 16 senadores e 43 deputados nacionais no Parlamento da Espanha, o Podemos é um dos principais partidos progressistas da Europa. Seu comando divulgou, nesta quinta-feira (23), um manifesto no qual a perseguição judicial contra Lula e defende o direito do ex-presidente de se candidatar à presidência da República. O comunicado, segundo informações do PT na Câmara, inclusive, cobra do governo da Espanha, comandado pelo PSOE (Partido Socialista Obrero Español), que se posicione favoravelmente ao ex-presidente e se junte ao “clamor internacional” pelo respeito aos direitos políticos de Lula.

Acompanhe a íntegra do manifesto:

Podemos sobre as eleições no Brasil: Lula da Silva deve ser candidato

A menos de dois meses para as eleições no Brasil, o candidato presidencial Lula da Silva continua injustamente privado da liberdade. Os procedimentos levados a cabo para o seu encarceramento – incluindo a negativa ao recurso do habeas corpus, as escutas telefônicas ilegais, a aceleração dos prazos com prejuízo da sua defesa, ou a sistemática proibição de sua participação nos debates e entrevistas com candidatos presidenciais – não apenas vulneram o respeito ao devido processo e aos direitos políticos do aspirante à presidência, mas os próprios fundamentos da democracia brasileira. Cada vez é mais evidente que o objetivo desse procedimento judicial não é a legítima e imprescindível luta dos poderes públicos contra a corrupção, mas impedir a candidatura à presidência de Lula, a quem todas as pesquisas apontam claramente como vencedor.

Assim reconheceu o Comitê de Direitos Humanos da ONU, que, em decisão histórica, cobrou na sexta-feira passada, 17 de agosto, que Lula possa participar na campanha eleitoral prévia às eleições de outubro. À decisão do Comitê de Direitos Humanos, cuja jurisdição foi voluntariamente aceitada pelo Brasil em 2009, se somou o comunicado de seis ex-mandatários europeus, entre os quais estão José Luis Rodríguez Zapatero e François Hollande, solicitando que “o presidente Lula possa apresentar-se livremente ante o sufrágio do povo brasileiro”.

Por sua vez, cerca de trinta congressistas estadunidenses e o senador Bernie Sanders enviaram uma carta ao Embaixador do Brasil em Washington exigindo a libertação de Lula enquanto prossiga o seu processo de apelação. Juristas e advogados do mundo inteiro – ente eles Baltasar Garzón e Joan Garcés – denunciaram irregularidades no processo contra Lula em carta dirigida à presidenta do Supremo Tribunal Federal e aos membros do Tribunal Eleitoral do Brasil. Até o Papa Francisco fez chegar uma bênção por escrito ao ex-presidente.

Pelo Podemos reiteramos nossa preocupação pela gravíssima situação que atravessa a democracia brasileira, e nossa mais firme condenação diante das tentativas de furtar do povo brasileiro a capacidade soberana de decidir o seu próprio futuro. Por isso exortamos o Governo da Espanha a que se some ao clamor internacional em defesa da democracia brasileira, faça eco da decisão da ONU, e solicite que Lula possa exercer seu direito a ser candidato nas próximas eleições presidenciais do Brasil, manifestando assim seu compromisso com a democracia e a defesa dos direitos fundamentais em nosso país irmão.

Leia o documento original aqui


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum