Partido Novo foi o que menos elegeu pretos e pardos proporcionalmente

Entre os vereadores eleitos pelo partido de direita neste ano, apenas 3,8% se classificavam desta forma; PCdoB foi, por outro lado, o que mais teve representantes pretos e pardos escolhidos

Nas eleições do último domingo (15), o Novo foi o partido que teve a menor proporção de pretos e pardos entre os vereadores que conseguiu eleger para as Câmaras municipais do país. Apenas 3,8% dos eleitos pela legenda se classificam desta forma.

O partido de direita se orgulha de dizer que faz uma seleção “rigorosa” de seus candidatos e defende a “meritocracia”. No entanto, dos 29 representantes que mostra ter levado às Câmaras em seu site, apenas um se classifica como “pardo”. É o advogado Pedro Duarte, eleito na cidade do Rio de Janeiro.

Ficha de Pedro Duarte no TSE (Foto Reprodução/Site do TSE)

Na outra ponta, a legenda que proporcionalmente mais elegeu pretos e pardos no país foi o PCdoB. Dos 692 vereadores que a sigla terá a partir do ano que vem pelo país, 69,8% se autodeclararam pretos ou pardos. Isso significa 483 representantes.

Das 29 siglas que conseguiram conquistar vagas nas Câmaras dos 5.570 municípios do Brasil, apenas oito tiveram mais da metade dos eleitos pretos ou pardos. Além de PCdoB, ficaram se enquadram nesta faixa PMB, PMN, Solidariedade, Republicanos, Avante, Pros e PT.

Avatar de Fabíola Salani

Fabíola Salani

Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.